Está no ar o Lado Bi da Homofobia Internalizada! 

Ouça a entrevista aqui: http://j.mp/247qcfC

Nesta edição, o Lado Bi o discute a homofobia internalizada - quando gays têm preconceitos contra LGBTs. "É tudo que aprendemos de negativo sobre a homossexualidade desde criança, que reproduzimos no próprio meio e que faz com que homossexuais odeiem outros homossexuais e transgêneros", diz o psicólogo Pedro Sammarco, que estuda o tema. Segundo ele, a fonte disso é a misoginia, ou seja, a negação e a depreciação daquilo que a sociedade considera como feminino. Isto afeta a autoestima e coloca a população LGBT no submundo, e a faz adquirir comportamentos autodestrutivos, que são levados por muitos até a terceira idade. "Se o pai da homofobia é o machismo, a mãe é a misoginia", diz ele.

SSEX BBOX: Concentração e resistência pacífica contra os fascistas neste 1 de maio no LARGO DA BATATA - 14:00  

Em tempos de intolerância, alguns caminhos possíveis são a informação e a união: precisamos nos instruir e nos juntar para resistir e oferecer conhecimento contra o conservadorismo machista, sexista, racista, misógino e LGBTfóbico.

Luana Biersack - fonte: Facebook

Assista com atenção. O assunto é sério e a violência não pode ser naturalizada. Temos que nos indignar e agir para mudar isso.

Por Sergio Viula

Era dia 21, feriado de Tiradentes. Coincidentemente, Andre é de Minas Gerais - terra do mártir da Inconfidência. Havíamos reservado desde fevereiro uma passagem para mim, porque não sabíamos se ele conseguiria se mudar para o Rio antes disso. Felizmente, juntamos nossas escovinhas de dentes quase um mês antes. Por isso, precisamos fazer uma reserva para ele também. Assim, a viagem não foi mais Sergio-visita-Andre, mas Sergio-e-Andre-vistam-a-família.

TCHAU, QUERIDOS!

Por Sergio Viula

Tenho uma política pessoal de amizade no Facebook que me leva a aceitar todas as pessoas que me adicionam, a menos que elas já tenham me bloqueado usando outros perfis ou tenham sido bloqueadas por mim devido a alguma atitude inaceitável para comigo.

Aliás, custo a bloquear alguém. Até mesmo alguns 'pentelhos' que outros amigos meus já teriam bloqueado - eles mesmos já me disseram isso - costumam ser poupados até um certo limite.
10

Clique na foto ou no comentário para ser direcionad@ para o grupo do evento.

------------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Minha gente, SSEX BBOX é imperdível, seja lá qual for a programação. Já estive em duas e dizer que amei é pouco demais. Não inventaram uma palavra suficientemente boa para dizer o quanto curti tudo o que aquelas pessoas estranhas (queer) e lindas produziram nas duas ocasiões. ^^

Cariocas, não percam. Compareçam.

Uma teocracia geralmente não nasce nas urnas.

Leia aqui (publicado agora mesmo):

https://viulaateu.wordpress.com/2016/04/17/uma-teocracia-geralmente-nao-nasce-nas-urnas/

Um novo post todo domingo no site Viulaateu.

Siga o grupo no Facebook.

Clique aqui:

E-mail: cineclubelgbt@gmail.com

Twitter: http://www.twitter.com/cineclubelgbt

Foi no dia 15 de abril. às 20:30. O belíssimo cinema Odeon, na Cinelândia, abriu as portas para o lançamento do filme Meu nome é Jacque, produzido por Angela Zoé.

Chamei meu amor (André) e duas das minhas meninas mais queridas (Kátia e Ismênia) para vermos o filme. Ficamos mais do que tocados com a história de Jacqueline.
1

Num determinado momento dessa manhã, André me diz: "Sabia que hoje é o dia internacional do beijo?". Respondi: "Sério? Então, vem cá para eu te beijar muito". Ele riu e veio. Daí, pensei: por que não publicar uma foto nossa, com uma cena de beijo bem singela, no Facebook? Publiquei. Um monte de gente curtiu. Daí, pensei: Vou colocar alguma coisa no blog também. Afinal de contas, vamos beijar sem medo de sermos felizes, porque felicidade renova a vontade de viver.

O astro do esporte também discutiu sua batalha contra a depressão e sua quase tentativa de suicídio.

A notícia foi publicada por Joe Williams

no portal Pink News em 1 de abril de 2016

Traduzido por Sergio Viula para o Blog Fora do Armário

Nathan quase perdeu a vida enquanto batalhava contra a depressão

Nathan Fort disse que decidiu sair do armário depois de sobreviver a uma tentativa de suicídio quase fatal e à superação de violência sexual.
Carregando