ABIA: Nota de repúdio à fala de Christina Rocha em "Casos de Família"

Christina Rocha, apresentando um dos episódios de seu "Casos de Família" 
Foto: Notícias da TV UOL




Nota de Repúdio do Projeto Diversidade Sexual, Saúde e Direitos entre Jovens.


15 maio 2018



"O Projeto Diversidade Sexual, Saúde e Direitos dos Jovens, da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS vem a público repudiar a fala da apresentadora Christina Rocha, do programa “Casos de Família”, da emissora SBT na edição da última segunda-feira (14).

Com o tema “ Minha vocação é colocar filhos no mundo…” após a intervenção de uma das convidadas da plateia alertando sobre o perigo do não uso da camisinha Christina opinou sobre o aumento no índice de novas infecções e sugeriu que o mesmo ocorre devido à falta de preocupação das pessoas “já que com esses novos coquetéis ficou mais fácil sim de tratar a doença”. Entretanto a apresentadora completou sua fala afirmando de maneira taxativa que, “ Ela continua sendo letal essa doença. É MORTE NA CERTA”. A informação pode ser acessada através do canal oficial do programa no Youtube.

Tal declaração reforça o estigma que acompanha o histórico da epidemia de HIV/AIDS durante suas três décadas, porém que não se sustenta nos dias de hoje e não contribui em nada para o combate ao preconceito, estigma e discriminação contra as pessoas soropositivas. Acreditamos sim que a prevenção é sempre o melhor caminho, mas a AIDS não é significado de morte.

Diante do alcance em número de audiência e da popularidade que o programa Casos de Família alcança diariamente acreditamos que a emissora, bem como a apresentadora devem se retratar publicamente com informações e esclarecimentos verdadeiramente bem apurados sobre a epidemia. Uma vez que como concessão pública a televisão também tem um papel de prestação de serviço público para com os seus telespectadores.”



Projeto Diversidade Sexual, Saúde e Direitos entre Jovens





Fonte: http://hshjovem.abiaids.org.br/nota-de-repudio-do-projeto-diversidade-sexual-saude-e-direitos-entre-jovens/7466#



Comentários