Justiça para a Chechênia: relato de um jovem gay sobrevivente.



Maxim, homem gay checheno e sobrevivente à perseguição antigay na Chechênia, república integrante da Federação da Rússia.


Passei 12 dias preso numa cela toda suja de sangue. Fui espancado, ameaçado e humilhado o tempo todo. Só porque sou gay.

Meu nome é Maxim e sou sobrevivente da perseguição antigay na Chechênia, onde as autoridades sequestraram, torturaram e assassinaram homens suspeitos de serem gays ou bissexuais.

Já faz um ano que o mundo ouviu pela primeira vez essas atrocidades. Mas, até agora, a justiça não foi feita.

As autoridades russas se recusam a promover uma investigação que esclareça esses crimes. Eles querem que o mundo se esqueça do que houve na Chechênia – mas nós não vamos deixar isso acontecer.

Precisamos colocar essa história de volta nos noticiários e falar para milhares de pessoas sobre os horrores que eu e tantos outros enfrentamos na Chechênia. Agora é a hora de exigir que as autoridades russas investiguem e punam os responsáveis.

Por favor, junte-se a mim. Assine nossa petição global e exija justiça pela Chechênia.



Eu fui libertado depois que minha família registrou meu desaparecimento e meus amigos fizeram uma campanha para me encontrar. Eu mal conseguia rastejar quando a polícia me soltou.
Muitos de nós tiveram que deixar a Chechênia para salvar a própria vida. Muitos, como eu, foram ameaçados pelas autoridades para que não falássemos do que aconteceu. E muitos têm medo de se manifestar pelo que pode acontecer com seus familiares.

É por isso que não posso ficar quieto. Porque minha história é a história de muitos outros.
Os crimes que enfrentamos na Chechênia precisam ser ouvidos, mas, para isso, eu preciso da sua ajuda. Se milhares de pessoas se manifestarem, podemos pressionar as autoridades russas a investigar.

Em homenagem às pessoas que perdemos há um ano, assine e exija justiça pela Chechênia.

Em homenagem às pessoas que perdemos há um ano, assine e exija justiça pela Chechênia.

Obrigado por apoiar a All Out. Vamos em frente!

Maxim Lapunov

PS: Centenas de nós vamos nos reunir no próximo fim de semana no mundo inteiro para participar de uma Mobilização Global pela Chechênia. Junte-se a nós! Clique aqui para encontrar um evento perto de você. E se ainda não houver nenhum, temos instruções para ajudar você a organizar o seu próprio evento.

***********************



ATUALIZAÇÃO - 4 de outubro de 2017: As audiências na justiça dos quatro ativistas russos detidos durante a entrega da petição, em maio, já aconteceram e todos foram multados em 10.000 rublos - cerca de 175 dólares. Eles entraram com recurso contra a decisão e agora aguardam a nova audiência. Foram retiradas todas as acusações contra Yuri, o ativista da All Out que também foi detido no evento. 

--------------------

ATUALIZAÇÃO - 4 de julho de 2017: Nas últimas semanas, parecia que já não havia novas prisões de homens gays na Chechênia, mas a Russian LGBT Network recebeu mais ligações em sua linha telefônica de emergência. Os sobreviventes informaram que as prisões recomeçaram. Além disso, agora há indícios de que pelo menos 6 pessoas morreram devido às perseguições.

--------------------

ATUALIZAÇÃO - 12 de maio de 2017: Os 5 ativistas – incluindo Yuri, que é um membro da equipe de campanhas da All Out – foram soltos da detenção e estão em segurança. Um julgamento acontecerá em 29 de maio. Iniciamos uma campanha de arrecadação de fundos para ajudar com o pagamento de multas, taxas legais e outros custos emergenciais resultantes da detenção dos ativistas. Por favor, faça uma doação para nos ajudar a seguir lutando, com ainda mais força, por justiça para os homens gays perseguidos na Chechênia: https://go.allout.org/pt/a/detained-in-moscow/

--------------------

ATUALIZAÇÃO - 11 de maio: Um de nossos colegas acaba de ser detido em Moscou, junto de outros ativistas, ao tentar entregar mais de 2 milhões de assinaturas contra a perseguição anti-gay na Chechênia. Continuaremos acompanhando a situação e trabalhando para libertá-los.

--------------------

ATUALIZAÇÃO - 5 de maio: Graças à pressão internacional, as autoridades russas anunciaram que vão investigar a situação na Chechênia. Antes, eles haviam declarado que deixariam a investigação a cargo das próprias autoridades chechenas. Continuaremos acompanhando para garantir que a investigação seja conduzida de maneira adequada, e que os responsáveis respondam por esses crimes.

--------------------

Homens gays estão sendo capturados e presos na Chechênia, Rússia.

Durante o fim de semana surgiu a notícia de que mais de 100 homens foram presos sob suspeita de serem gays. Há relatos de pessoas torturadas, espancadas e obrigadas a dar informações sobre outros gays na região. Pelo menos três homens foram assassinados.
“Na Chechênia nem existem gays” – foi a resposta oficial das autoridades.

Exija que as autoridades federais russas investiguem imediatamente essas atrocidades e punam os responsáveis por prender, torturar e matar homens gays na Chechênia.

Esta campanha é realizada em parceria com a Rede LGBT da RússiaA All Out também está realizando uma campanha de arrecadação emergencial para ajudar a Rede LGBT da Rússia a retirar da Chechênia homens gays que correm risco de serem presos e torturados. Faça uma doação aqui.

Publicado em 4 de abril de 2017.

Comentários