MALTA votou pela legalização do casamento homoafetivo com 66/1.

MALTA votou pela legalização do casamento homoafetivo com 66/1.


Com informações do The Independent,
conforme publicado em 12 de julho de 2017.

Adaptado por Sergio Viula

Parceiros gays têm tido permissão para parcerias civis desde 2014, mas agora passam a ter direitos plenos.




Defensores da igualdade LGBT em Malta quando as uniões civis foram permitidas em 2014
Fonte: Getty images.


Legisladores da ilha predominantemente católica de Malta votaram para legalizar o casamento homoafetivo.

Com 66 votos a favor versus apenas um voto contra, o Parlamento de Malta aprovou legislação substituindo o tradicional "vocês são agora marido e mulher" na declaração das cerimônias civis por "vocês agora são esposos (ou esposas): "You are now spouses”, que é um termo sem gênero na língua inglesa.

O único parlamentar que votou contra a mudança disse que o fez por causa de sua fé.

A decisão segue a aprovação de um projeto de lei em 2014 que garantiu aos casais gays em Malta o direito à parceria civil.

A adoção por casais homoafetivos tem sido legal desde aquela data.

Ano passado, o número de parcerias civis homoafetivas eclipsou o número de casamentos nas igrejas pela primeira vez.

A mudança é mais uma evidência da transformação de Malta, um país com 440 mil pessoas, onde o divorcio era ilegal até o ano de 2011.

Mais de uma dúzia de países europeus legalizaram o casamento homoafetivo - todos na parte ocidental do continente.

Quase uma dúzia de outros países, incluindo a Itália, possuem algum tipo de parceria civil ou união civil homoafetivas.

Comentários