HIV / AIDS: BOAS E MÁS NOTÍCIAS DA FRENTE DE BATALHA - via The Economist

AIDS






Algumas boas e más notícias 
sobre a luta contra o HIV

Um relatório da frente de batalha.




Com informações da revista The Economist
20 de julho de 2017

Traduzido e adaptado por Sergio Viula




AS BOAS NOTÍCIAS

O último relatório* da UNAIDS, órgão das ONU para o combate ao HIV e à AIDS revela que  o índice de mortes por AIDS continua a cair. Em 2015, era quase dois milhões de mortes (1,9 milhão), enquanto em 2016, esse número caiu quase pela metade (1 milhão). Muito disso, graças à distribuição de drogas retrovirais em quase todas as partes do mundo aos que já foram infectados com o vírus - o que prolonga a vida mantendo os sintomas sob controle por períodos prolongados.

O índice de mortes entre as mulheres e garotas está mais baixo que o dos homens e garotos, e caindo rápido, apesar dos índices de infecção em ambos os sexos serem quase equivalentes (as mulheres apresentam 51% dos casos). Essa tendência para a queda na morte de mulheres pode ser devido a maior responsabilidade delas em checar a saúde regularmente, bem como aos cuidados pré-natais. As mulheres acabam descobrindo cedo e se medicando melhor.

MÁS NOTÍCIAS

Apesar do índice de novas infecções estar caindo, isso não está acontecendo tão rápido quanto a UNAIDS e seus aliados desejavam. Desde 2010, a redução tem sido de 16% ao ano. Com essa taxa, a pretensão de reduzir as mortes para 500.000 ao ano até 2020 parece otimista demais.

Quanto à ideia de uma cura para a AIDS, especialmente uma medicação que eliminasse o vírus totalmente do corpo de uma pessoa, isso também parece uma perspectiva distante. 

Por ora, o que a UNAIDS pretende é conseguir a atingir a meta 90/90/90, isto é, conseguir que 90% das pessoas infectadas no mundo saibam que são portadoras do vírus, e que 90% dos portadores sejam tratados, e que o tratamento seja eficaz em 90% dos tratados, entendendo eficaz como capaz de prolongar a vida com qualidade, não como capaz de eliminar o vírus. É uma meta ambiciosa e depende diretamente de políticas públicas e mobilização social. 

Veja o relatório completo em inglês abaixo:

Resumo da própria UNAIDS (em Português): 

http://unaids.org.br/2016/11/novo-relatorio-do-unaids-mostra-que-182-milhoes-de-pessoas-estao-em-terapia-antirretroviral-em-todo-o-mundo/

RELATÓRIO COMPLETO (em inglês):

Comentários