Simba será gay no próximo "remake" do Rei Leão, confirma a Disney

Simba se apaixonará por outro leão




Por Sergio Viula
Com informações de
Fillop Rao para o Pink News
Em 1st April 2017



Simba será gay no próximo "remake" do Rei Leão, confirma a Disney


De acordo com o reconhecido site Pink News, especializado em notícias sobre a comunidade LGBTQIA e temas relacionados a ela, o amado leão Simba, do filme O Rei Leão, se apaixonará por outro leão. Segundo, o Pink News, a Disney confirmou a notícia de que Simba sairá do armário no "remake" que está para ser lançado em breve.

O enredo do "remake", porém, seguirá o do filme original (1994), quando o leãozinho
 Simba foi forçado a fugir depois que seu pai Mufasa foi assassinado pelo seu maligno e traidor irmão Scar. Porém, seguindo o sucesso de A Bela e a Fera, haverá uma reviravolta no enredo para atualizar a obra com uma abordagem mais atual. 

De acordo com o site Pink News, uma fonte teria revelado que o leão Naji será o namorado de Simba. Um porta-voz da Disney teria dito: "Depois do sucesso comercial de A Bela e a Fera, nós queremos estabelecer um claro compromisso com a diversidade e com a igualdade LGBT nos nossos futuros filmes (...) Pensamos que as audiências ao redor do mundo se apaixonarão pela nossa recontação da história de Simba".

Provavelmente, grupos extremistas e anti-LGBT criticarão a iniciativa, mas a Disney foi elogiada por grupos de defesa dos direitos LGBT por se recusar a cortar cenas de A Bela e a Fera para acomodar o filme aos caprichos dos incomodados. E onde a Disney soube que censores haviam cortado cenas sem a autorização dela, a própria Disney proibiu a exibição do filme inteiro.

Está sendo feita uma petição para que haja mais inclusão LGBT nos entretenimentos da empresa. Milhares de apoiadores já assinaram e você pode assiná-la também AQUI. É muito simples: Basta colocar nome, sobrenome e e-mail.

O novo Rei Leão está agendado para ser inaugurado em 31 de junho de 2017.

Enquanto isso, outros estúdios já mostram interesse em participar desse movimento pró-inclusão no entretenimento ligado à arte cinematográfica, como o caso dos estúdios  Lionsgate, Saban Brands e Saban Entertainment, que produziram e distribuíram o filme Power Rangers, lançado em março de 2017, e que já se antecipou como o primeiro filme a mostrar uma heroína assumidamente homoafetiva. Saiba mais sobre isso AQUI.

Comentários