Chechênia: Mobilização nas últimas horas e o que você pode fazer contra a prisão e tortura de gays em campo de concentração

Por Sergio Viula
Com informação de sites internacionais



Centenas protestaram em frente à Embaixada da Rússia em Londres ontem (12/04/17). Fonte: Evening Standard.



Durante uma manifestação que reuniu centenas de pessoas em frente à embaixada da Rússia em Londres ontem (quarta-feira, 12/04), Michael Salter-Church, co-diretor do Pride in London disse o seguinte: "Dá um frio na espinha ouvir sobre campos de concentração em 2017."

Ele acrescentou: "Os abusos da Rússia não podem ser ignorados."

O grupo enviou carta à Primeira Ministra Theresa May e ao Secretário de Assuntos Estrangeiros Boris Johnson instando os dois a que se encontrem com Embaixador da Federação Russa para o Reino Unido. Até o momento, o governo russo não comentou publicamente o episódio.


O site da revista OUT recorda que a primeira notícia sobre a prisão sistemática de homens gays na Chechênia foi publicada pelo Novaya Gazeta, um jornal russo de oposição. A Chechênia, que é uma república independente e controlada por muçulmanos, faz parte da Federação Rusa. Seu líder nega as prisões e o estabelecimento de um campo de concentração para gays, mas cai em contradição semelhante à de Mahmoud Ahmadinejad, ex-presidente do Irã, que alegou não existirem gays no Irã (2007), enquanto execuções oficiais eram praticadas em praça pública e documentadas por observadores. Veja essa AQUI.

Ramzan Kadyrov, líder da república chechena

Falando ao New York Times, o líder checheno Ramzan Kadyrov negou que existam pessoas gays na região. "Você não pode prender ou reprimir pessoas que simplesmente não existem em nossa república", disse ele. "Se tais pessoas existissem na Chechênia, a lei não teria que se preocupar com elas porque seus próprios parentes as enviariam para um lugar de onde nunca mais poderiam retornar".

Com isso, Kadyrov não apenas respondeu cinicamente e revelou sua própria homofobia, coisa inaceitável para um líder nacional, mas também reconheceu que pessoas gays estariam em constante perigo de morte naquela república e sem qualquer proteção do Estado contra seus possíveis agressores. A fala de Kadyrov carrega o tom de quem se orgulha de práticas de extermínio, inclusive aquele que possa ocorrer dentro da própria casa/família do indivíduo - prática recorrente entre muçulmanos radicais em países que não reprimem esse tipo de violência.

Na verdade, as prisões de homens gays entre 16 e 50 anos começaram imediatamente depois que um grupo de defesa dos direitos gays, o GayRussia.ru, solicitou autorização para celebrar uma Parada do Orgulho LGBT. A solicitação foi negada e sucedida por essa perseguição implacável contra os cidadãos gays da Chechênia.

A presidente do GLAAD (Gay and Lesbian Alliance Against Defamation), Sarah Kate Ellis, solicitou que a Embaixadora americana das Nações Unidas, Nikki Haley, condene os ataques na Chechênia e exija ação para detê-los. 

Sarah Kate Ellis - CEO do GLAAD - Foto pelo Dreamforce Vídeo

Se você sabe escrever em inglês, junte-se a esse clamor contatando a Embaixadora Haley diretamente por AQUI

Igor Yassin, ativista russo. Foto pelo Queer Russia


Uma petição da Change.org criada pelo ativista russo Igor Yasin demanda que o Promotor Geral da Rússia investigue os ataques imediatamente. Até há pouco, mais de 31.000 assinaturas já haviam sido coletadas. Assine essa petição também AQUI.

Outra petição, só que da Anistia Internacional, já coletou mais de 65.000 assinaturas. Assine essa também AQUI.

O cantor Elton John, através de seu perfil no Twitter, endossou a petição da Anistia Internacional e pediu que seus fãs assinem o documento.



Você também pode enviar um e-mail para a embaixada russa (em inglês) usando esse formulário de contato AQUI

Para escrever em PORTUGUÊS diretamente para a representação russa (embaixada e consulados) aqui do Brasil, envie sua mensagem para os seguintes e-mails:

Brasil:

Embaixada da Rússia em Brasíla: 
embaixada.russia@gmail.com 
embassy.brasil@mid.ru

Consulado Geral da Rússia no Rio de Janeiro: 
consulado.russia@radnet.com.br

Consulado Geral da Rússia em São Paulo: 
consrus_sp@mail.ru



Saiba mais sobre a HISTÓRIA LGBT NA RÚSSIA

Não deixe essa atrocidade ficar sem resposta. Compartilhe esse post nas suas redes sociais e faça essas informações chegarem ao maior número possível de pessoas.

Comentários