"100 presos, 3 mortos" enquanto autoridade chechenas promovem aterrorizante expurgo gay

A detenção em massa de homens gays está acontecendo na chechena, de acordo com denúncias.


COM INFORMAÇÕES DE WILL STROUDE

TRADUZIDO POR SERGIO VIULA



O líder Checheno apoiado pela Rússia, Ramzan Kadyrov.



Homens gays estão sendo presos e mortos num terrível expurgo anti-gay na Chechênia, de acordo com denúncias.

O jornal de oposição russa Novaya Gazeta diz que mais de 100 homens, com idades entre 16 e 50 anos, foram presos por autoridades locais no caucasiano russo nas últimas semanas.

Sabe-se que três homens foram mortos, apesar dos jornais estimarem que o número real seja bem maior.

A repressão parece ter começado depois que um grupo russo de defesa dos direitos gays solicitou permissão para realizar paradas gays na região norte caucasiana, da qual a Chechenia é uma parte.





Autoridades são acusadas de estarem usando as mídias sociais para localizar e caçar as vítimas, que provavelmente não são assumidas numa região onde homossexuais são confrontados com perseguição e violência são amplamente difundidos.

Homens já presos podem incluir figuras religiosas importantes como duas populares personalidades da TV chechena.

O status legal da homossexualidade na região predominantemente muçulmana da Chechênia é indefinida, mas as autoridades tem fingido não ver a violência e os assassinatos contra gays, enquanto o líder checheno Ramzan Kadyrov, apoiado pela Rússia de Putin, disse anteriormente que aprova o assassinato em nome da honra.

--------------------
O G1 também publicou notícia sobre essa perseguição anti-gay na Chechênia: O GLOBO.

Comentários