Rei da Holanda vai fazer visita história a um grupo LGBT

Por Sergio Viula
Com informações de Nick Duffy
Pink News


Photo by Jasper Juinen/Getty Images)


O rei da Holanda fará uma visita histórica a um grupo de defesa dos direitos LGBT ainda esse mês. Esta será sua primeira visita ao grupo. 

Foi anunciado em 07 de novembro que o rei Willem-Alexander da Holanda, que ascendeu ao trono em 2013 quando sua mãe abdicou, se reunirá com ativistas do grupo conhecido como COC Netherlands, um grupo de defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros.

A visita, considerada como a primeira por um monarca em atividade, vem no momento em que o COC celebra seu 70º aniversário esse ano.

A Holanda tem sido considerada um bastião de progressismo, tendo tornado-se o primeiro país do mundo a legalizar o casamento homoafetivo em 2001.

"Estamos muito honrados que ele venha nos visitar" - disse a presidente do COC, Tanja Ineke. "Vemos sua visita como uma demonstração de apoio de fato às pessoas LGBT na Holanda e em toda parte do mundo enquanto elas lutam por aceitação e direitos iguais."

A organização COC é a organização LGBT mais antiga do mundo ainda em atividade, tendo lutado ao longo dos anos para descriminalizar a homossexualidade, legalizar o casamento homoafetivo e exigir edução inclusiva para LGBT nas escolas.

Rainha da Holanda participa de Conferência do IDAHO


Minha experiência em Amsterdã

Em 2012, mais precisamente no dia 31 de julho, embarquei para a Holanda para participar de uma semana inteira de atividades e reuniões para conhecer muito do que se faz em prol da inclusão LGBT na Holanda e no mundo por parte dos holandeses. Foi um momento mágico, muito especial mesmo. Entre as organizações que eu conheci, estava o COC e o Expreszo - a primeira trabalha com LGBT adultos e a segunda com a juventude LGBT. O trabalho de ambas é de suma importância.

O encontro com o grupo Expreszo (é assim mesmo que se escreve em holandês) nos deu uma visão sobre a história do grupo e o que ele faz pelos jovens LGBT na Holanda. Eles compartilharam a experiência de criação de uma revista com o mesmo nome em 1988 e a criação do site que os representa, inaugurada em 1999. Eles discorreram sobre o papel da organização na promoção da cidadania LGBT entre jovens. 

Uma das iniciativas foi a criação de fóruns no site, através dos quais os jovens passaram a ter a oportunidade de poder interagir sobre diversos assuntos relacionados à sexualidade, identidade de gênero, cultura LGBT, direitos LGBT, etc., sem precisarem se identificar com os demais – o que protege, através do anonimato, aqueles que moram em lugares onde homossexualidade sofre restrições ou punições no mundo ou que pertencem a família LGBTfóbicas – o que não é tão fácil de obter nas redes sociais como Facebook e Twitter.


À cabeceira, da esquerda para a direita: Ex-secretário e o ex-diretor da revista Expreszo, Sr. Benjamin van Es. Eles têm que deixar o cargo quando atingem a idade de 26.


Bregje Korteweg (nossa anfitriã) e o novo diretor da Expreszo, Sr. Mr. Mark Reichwein.

Wester Meijdam (nosso anfitrião), à esquerda.



Atualmente, a Expreszo tem 3.500 membros com um total de 2.500 participantes ativos nos fóruns online.

Outra curiosidade é que a comunidade LGBT na Holanda recebe apoio desde cedo. Para os adolescentes com 14 anos ou mais, existe uma organização, cujo nome em holandês significa “Juventude Fora do Armário”. Depois que eles se tornam maiores, eles podem fazer parte da Expreszo até completarem 26 anos. Daí em diante, passam a ser membros do COC (originalmente era um nome neutro "Centro para Cultura e Lazer). Atualmente, é a mais conhecida organização LGBT, representando os homens e as mulheres LGBT da Holanda. É essa organização que o rei da Holanda vai visitar esse mês (novembro de 2016).

Hoje, à tarde (11:40, no Brasil), fui entrevistado por André Fischer e Pétria Chaves a respeito dos eventos relacionados ao Gay Pride na Holanda. Ouça o programa no minuto 31:20, bastando arrastar o cursor do player abaixo:

Naquela ocasião, fui entrevistado por André Fischer e Pétria Chaves a respeito dos eventos relacionados ao Gay Pride na Holanda. Ouça o programa no minuto 31:20, bastando arrastar o cursor do player abaixo:






O grupo de visitantes convidados pelo governo Holandês para essa semana de reconhecimento das políticas inclusivas, das organizações LGBT atuantes no país, da parada LGBT (acontece nos canais de Amsterdã, de uma organização que atua no acolhimento de imigrantes e refugiados LGBT de países dominados por políticas homofóbicas no Oridente Médio, Norte da África e Ásia).



Evento do Orgulho LGBT no Homomonument - um monumento aos homossexuais mortos durante o regime nazista.




Secretário-Geral das Forças Armadas, pouco antes de embarcar no Canal Parade, que é a Parada LGBT nos canais de Amsterdã. Eu tive o privilégio de seguir no mesmo barco que os militares.


Sergio Viula, administrador do Blog Fora do Armário, com alguns dos militares que desfilaram no barco dos militares no Canal Parade de 2012.


Para quem gosta de artigos acadêmicos, um texto dos professores Gert Hekma & Jan Willem Duyvendak:

Gert Hekma
Jan Willem Duyvendak



Comentários