Oregon elege governadora bissexual assumida

Por Sergio Viula
Com informações de The Two-Way Breaking News from NPR



Kate Brown, governadora eleita no Oregon, fala à multidão de apoiadores no centro de convenções em Portland, Oregon na terça-feira. Foto: Steve Dykes/AP


Nem tudo é má notícia. Se por um lado, Trump é uma decepção no que diz respeito ao resultado eleitoral nos EUA, por outro lado, há razões para celebrar boas surpresas. Um desses casos - e certamente um dos mais extraordinários - foi a eleição de Kate Brown para governadora do estado de Oregon. É a primeira vez que uma pessoa LGBT assumida é eleita governadora nos Estados Unidos. Foi também a primeira vez que Brown concorreu a uma eleição para o cargo de governador.

Ela havia assumido o posto de governadora do Oregon em fevereiro de 2015, depois que o ex-governador John Kitzhaber renunciou por causa de um escândalo de tráfico de influência. Ela era secretária de estado naquele momento, e como o Oregon não tem um vice-governador, ela foi a primeira na linha de sucessão.

Depois de cumprir o que resta da suplência, ela assumirá o gabinete na qualidade de governadora eleita. É dela o crédito pela assinatura da lei que proíbe que se submetam menores de idade a práticas de "cura gay" e semelhantes. 

Anteriormente, esse ano, durante um discurso de graduação na Willamette University, a senhora Brown falou aos graduandos sobre os anos que ela havia passado dentro do armário, diz a Associated Press. Ela contou aos alunos que se preocupava em perder seu emprego caso descobrissem que ela era bissexual.

Brown foi 'tirada do armário' na década de 80 e é casada com seu marido desde 1997. A revista Slate relatou no ano passado que ao mesmo tempo em que não foi escolha dela ser 'tirada do armário', ela não hesitou em abraçar sua identidade assim que esta se tornou pública.

Brown não é a primeira pessoa LGBT a servir como governadora — o ex-governador de Nova Jersey Jim McGreevey saiu do armário como gay em 2004, mas  renunciou meses depois. Agora ela se torna a primeira pessoa a vencer eleições governamentais. 

Ela falou ao Washington Blade mês passado sobre o que sua vitória poderia significar.

"Você não pode ser o que você não vê", disse ela. "Se eu puder ser um bom exemplo para uma pessoa jovem que decida que sua vida vale a pena, porque existe alguém como ela no mundo, está valendo."

Comentários