Mesquita acolhe gays sem preconceito

Mesquita gay acolhe

muçulmanos homossexuais 

na África do Sul

Imã enfrentou preconceito e fundou comunidade sem discriminação.


País africano reconhece casamento gay, mas iniciativa causou alvoroço.



Mesmo em um país liberal como a África do Sul, o imã Muhsin Hendricks, que fundou na Cidade do Cabo a primeira mesquita aberta aos homossexuais, gera curiosidade com seu projeto de promover uma comunidade muçulmana sem discriminação.
Neto de um imã, Muhsin Hendricks sempre sonhou em assumir essa posição, mas, quando soube que era homossexual, pensou que esse sonho tinha se tornado impossível.
Me divorciei aos 29 anos, depois de ter sido casado durante seis. Foi nesse momento que eu disse: 'Chega de vida dupla. Tenho que ser honesto comigo mesmo"
Muhsin Hendricks, imã
"Me divorciei aos 29 anos, depois de ter sido casado durante seis", disse Hendricks. "Foi nesse momento que eu disse: 'Chega de vida dupla. Tenho que ser honesto comigo mesmo'", acrescentou.
Depois de assumir sua homossexualidade, decidiu continuar desafiando os preconceitos, e em 1996 criou o grupo "Inner Circle" (Círculo Interior), uma comunidade que apoia todos os muçulmanos que se sentem rejeitados devido à sua orientação sexual.
Cinco anos depois, abriu sua própria mesquita, um templo que foi batizado de "mesquita aberta" ou "mesquita do povo".
LEIA MAIS: G1 Globo

Comentários