Igreja homofóbica perde caso sobre o funeral de fuzileiro naval

Traduzido e adaptado por Sergio Viula
Texto Original do Pink News.

A igreja foi tema de um documentário da BBC2 por Louis Theroux apresentado esse ano


Igreja do ódio perde caso do funeral do fuzileiro naval


Um júri dos Estados Unidos deu causa ganha ao pai de um fuzileiro naval cujo funeral foi alvo do grupo anti-gay de Fred Phelps. A indenização será de 11 milhões de dólares.

No primeiro processo individual aberto contra a Igreja Batista de Westboro (WBC) por seus protestos em funerais militares.

Albert Snyder alegou que os manifestantes da igreja anti-gay com sede em Kansas destruiu sua única chance de enterrar em paz seu filho cuja vida foi perdida no Iraque. Ele registrou o caso em junho de 2006.

Os piqueteiros, que carregavam cartazes com mensagens como "Graças a Deus pelos soldados mortos", disseram que estavam se opondo a gays nas Forças Armadas.

Durante o processo civil numa corte federal de Baltimore, o júri considerou a Igreja Batista de Westboro era responsável por inflição de sofrimento emocional baseado na mensagem dos cartazes de seus membros.

Os jurados decidiram que a expectativa de privacidade da família Snyder no funeral de Matthew Snyder foi violada pelo protesto dos membros da igreja do lado de fora da Igreja Católica romana de St. John (São João) em Westminster.

A Igreja Batista de Westboro – que tem cerca de 75 membros, a vasta maioria dos quais são parente de Phelps (pastor presidente da igreja) - protesta em funerais usando ofensas anti-gay mas n]ao considerou a orientação sexual presumida do soldado, disseram os membros da igreja.

No dia 2 de abril, um porta-voz da Família Real Sueca confirmou que o líder da Igreja Batista de Westboro enviou várias mensagens de ódio para a família.

Dizem que o Rev. Phelps se voltou contra os suecos depois que um pastor, Åke Green, foi condenado por incitar ódio contra as pessoas gays durante um sermão homofóbico.

“Você está condenado a passar a eternidade no inferno” - Phelps teria dito em uma das mensagens de fax.

“Todos vocês, suecos e seu rei sueco e sua família." - teria completado ele.

Phelps, o pastor da igreja do ódio conhecida como Igreja Batista de Westboro, morreu em 19 de março de 2014. O blog Fora do Armário publicou texto sobre seus últimos momentos. 

Leia aqui: 


SOBRE ESSA IGREJA FUNDAMENTALISTA PROMOTORA DE ÓDIO, VEJA TAMBÉM:

1) Estudantes enfrentam pregadores de ódio da Igreja Batista de Westboro com 40.000 dólares para Caridade Gay

2) Igreja Batista de Westboro é barrada pelo povo

Comentários