A apresentadora mais popular da China é trans

Escrito por Dominic Preston
Texto originalmente publicado por Pink News
Tradução Sergio Viula



Jin Xing, mulher trans e poderosa.


A apresentadora de TV mais popular da China, geralmente chamada de Oprah do país, começou sua carreira como um prodígio na dança.

Desde os 9 anos de idade, ela foi recrutada para integrar a trupe de dança das Forças Armadas chinesas, a principal máquina de propaganda do exército.

Lá, ela treinou balé, ópera, dança e acrobacias, assim como tiro e detonação de bombas.

Depois de deixar o militarismo, ela estudou como dançarina em Nova York, onde ela encontrou as palavras para finalmente expressar sua identidade. 

"Agora eu era livre para me descobrir", disse ela ao The Hollywood Reporter. “Será que eu sou gay? Mas eu achava que não."

"Quando eu fui aos bares gays, conheci um amigo gay, mas eu disse: 'Não, não, eu não sou gay'. Minha sexualidade é semelhante a de uma mulher."

"Foi aí que eu encontrei as palavras — transexual, transgênero. Eu disse: 'OK, eu pertenço a essa pequena ilha'. Então, eu comecei a pesquisar."

Depois de vários anos treinando em Nova York de depois passeando e ensinando na Europa, Xing retornou à China em 1993. Três anos mais tarde, ela se tornou a primeira figura pública a fazer a transição em seu país.

"Eu consultei médicos no Ocidente, mas eu precisava voltar à China. Eu queria estar perto da minha mãe, porque a primeira vida foi ela que me deu, eu nasci chinês."

"Então, para a segunda vida que eu dei a mim mesma, um novo nascimento, eu queria estar na China também, Eu sou chinesa. Eu posso viver em Nova York, eu posso viver em qualquer lugar, mas eu sou chinesa".

Complicações durante a cirurgia quase custaram a carreira da dançarina, todavia, pois ela teve uma perna paralisada depois que o fluxo de oxigênio foi interrompido.

"Eu quase cometi suicídio. Eu queria me tornar uma mulher, mas eu não queria ficar aleijada. Eu não queria perder minha perna".

“Talvez eu precisasse sacrificar mais ainda para conseguir o que eu queria. Não é tão fácil conseguir o que você quer. Se fosse tão fácil, todo mundo conseguiria."

Determinação, trabalho duro e extensa terapia física promoveram sua recuperação e retorno ao palco, todavia, atuando pela primeira vez como uma mulher.

Dali, ela realizou seu retorno ao foco das atenções aparecendo como jurada na versão local de Então Você Acha que Pode Dançar (So You Think You Can Dance), ganhando o apelido de "Língua Venenosa" (Poison Tongue) com sua reprovações fulminantes.

Agora ela comanda seu próprio seriado semanal, o Jin Xing Show, arrastando uma audiência estimada de 100 milhões de expectadores.

Não foi tudo fácil desde que ela fez a transição. Ser trans não ilegal na China, mas o governo tem feito pouco para apoiar e defender os direitos das pessoas trans.

Ele foi inclusive dispensada do show de talentos da TV em 2011, porque era transexual, em meio à especulação de que o próprio governo havia bloqueado sua atuação.

Mesmo assim, é reconfortante ver uma mulher trans com o tipo de apelo que Xing tem  – especialmente depois que Caitlyn Jenner lutou para ter o mesmo impacto no Oeste.

O show dela Eu Sou Cait (I Am Cait) foi cancelado depois de dois anos de queda nos índices, mas mesmo em seu melhor, ela atraiu 2,73 milhões de expectadores  – uma pequena fração em comparação com audiência de Xing.

Comentários