Conheça o cara que correu 401 maratonas em 401 dias para combater o bullying contra LGBT nas escolas

Com informações de Gay Star News
Texto original por Joe Morgan
Traduzido e adaptado por Sergio Viula

Ben Smith



Esse homem gay correu 401 maratonas em 401 dias para combater o bullying homofóbico. A sua 401ª maratona aconteceu no dia 05 de outubro (ontem) em Bristol, Inglaterra. 

Ben Smith correu 401 maratonas (o que corresponde a 18.250 km), tendo começado sua jornada em 1 de setembro de 2015. Ele correu em meio a tempestades de neve, subindo montanhas e descendo vales até atingir sua meta, se machucou algumas vezes, mas não desistiu.

Sua corrida tinha o objetivo de conscientizar a sociedade sobre o bullying que os jovens enfrentam, especialmente sendo LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais), e o dinheiro arrecadado por meio de seus incríveis esforços será dividido entre duas organizações que trabalham pela promoção da igualdade na diversidade. São elas: a Stonewall e a Kidscape

"A reação tem sido espetacular." - disse Smith ao Gay Star News. "Começamos com o objetivo de levantar um quarto de milhão e conscientizar sobre o bullying homofóbico e transfóbico."

"Eu fui alvo de bullying na escola, e tenho orgulho de quem sou como um homem gay hoje. Não existe negatividade de qualquer tipo. Eu tenho falado sobre minha sexualidade em diferentes escolas, e tem sido profundamente tocante ver como as pessoas têm reagido."

Depois de ser sujeito a bullying e a abusos físicos num internato, Smith tentou tirar sua própria vida duas vezes. Ele também sofreu um infarto aos 29, o qual ele atribui em parte ao modo como foi tratado na escola.

E durante sua recuperação, ele foi encorajado a se juntar a um clube de corrida. Ao fazê-lo, Ben descobriu que isso a ajudava a recuperar sua saúde física e mental.

Ben admite que estava ansioso para terminar o desafio. Ele quer passar três meses só descansando, mas isso quer dizer fazer algumas meia maratonas. Ele também terá que ser acompanhado por um médico, porque seu coração agora é maior do que a média e seu corpo acostumou-se à produção de endorfinas numa escala bem maior que o normal. Uma parada brusca poderia ocasionar depressão.

Mas quando a vida voltar realmente ao normal  o homem de 34 anos diz que quer apenas passar tempo com seu namorado, mudar-se para um novo apartamento e começar uma vida em comum com seu amor.



E Ben Smith não considera que sua jornada se encerrou. Ele diz que quer criar um legado desse desafio de 401 maratonas em 401 dias. Ele vai construir uma rede com escolas para colocar um fim ao bullying contra pessoas LGBTI. Ele também vai treinar para atingir seu melhor tempo numa maratona no ano que vem.

Doe aqui: http://www.the401challenge.co.uk/ (em inglês)

E aqui no Brasil? Alguém se habilita a colocar seus talentos esportivos, artísticos, técnicos e acadêmicos a serviço da inclusão total nas escolas e outros estabelecimentos educacionais? 

Comentários