Dia da Independência: leituras obrigatórias e uma pausa para a poesia

Porque o amor sempre tem a preferência. ;)


Meu Dia da Independência foi bastante dependente de leituras e prazos, mas o amor faz da poesia seu instrumento de subversão. 

Publiquei esses versos no Facebook hoje, à tarde. Como muita gente curtiu (eu, principalmente... hehehe), decidi coloca-los aqui também para compartilhar com mais amigues e não perdê-los mais de vista.




Triunfo do amor

Por Sergio Viula

No feriado, o programa é leitura obrigatória
Meus olhos, porém, insistem no colírio
Olho para o lado e lá está ele... lindo
Mas o trabalho persiste e não aceita moratória.

A mente recupera uma citação, quase rindo
"Olhai para os lírios dos campos"
Contraponto para a ganância e sua oratória.
Mesmo não deixando de ser um delírio,
Ao capitalismo selvagem, não cabe vanglória.

Pois, a despeito de seu impiedoso martírio,
E de todo o tempo que ele nos rouba hora após hora,
O amor, com a delicadeza e o perfume de um satírio,
É quem conquista, afinal, a mais fragorosa vitória.

De Sergio Viula para Andre Dias no dia da Independência/2016.

Comentários