Andre me surpreendeu com uma linda mensagem de amor no Facebook. Respondo aqui.

No tom de amor, há um som para amar.
Envolvido com a correria do dia a dia na vida urbana em Belo Horizonte (minha cidade natal linda, cheia de charme e simplicidade) corria atrás de objetivos pessoais e meu próprio sustento, andava de um lado para o outro buscando renovar minhas energias na música.
Na maioria das vezes, ao som da Bossa Nova Brasileira - lançado por Tom Jobim e outros grandes cantores e compositores brasileiros -, alimentava a esperança de viver o lado mágico que a Bossa Nova nos desperta, o amor. No embalo do som, viajava mentalmente de olhos fechados para a cidade maravilhosa, o Rio de Janeiro, a inspiração da Bossa, na época cantada por jovens cantores e compositores da linda e única Zona Sul da cidade no sudeste do país.
Bossa nova, esse som leve, composto por instrumentos nobres, apreciado por pessoas e personalidades, às vezes: intelectual, etilista e restrito, guarda e revela a preciosidade da rica cultura musical que o nosso país tem''. O Rio de janeiro naturalmente cresceu em meio a mimos musicais, artísticos e midiáticos (kkkk acho que safos vão entender o que estou falando). A cidade ''maravilhosa'' que em meio ao caos de uma rotineira onda de assaltos, especulações comerciais e governamentais, não perde seus brilhos, seja no jeito descolado de se comunicar, nas paisagens que cercam a cidade - cercada por lindas montanhas, morros e comunidades que abrigam crianças e jovens que lutam por um futuro melhor, que se ''aventuram'', alguns deles cheios de vida nos semáforos do trânsito caótico da cidade, vendendo seus doces e outras bugigangas, para no fim do dia subir a serra com um trocado no bolso para ter o que comer - ou até mesmo pelo fato de ser uma fonte histórica que guarda ricas lembranças da história do nosso país.
Em meio a essas diversas histórias, agora já morando no RJ, alimento minhas esperanças por vitórias individuais do próximo, e no geral por acreditar num país melhor com mais oportunidade e democracia.
A cidade encanta a quem recebe com suas paisagens, cenários únicos, inconfundíveis, deslumbrantes cartões postais que inspiram magicamente, alimentando e enriquecendo sonhos e desejos de quem almeja viver um grande amor (coisas de quem escuta, ama e curte muito a Bossa nova).
Minha primeira viagem ao Rio programada com todo entusiasmo para o carnaval de 2016, foi literalmente gongada pelo destino, fazendo-me ficar curtindo a festa nas calmarias de Belo Horizonte, esperando quem hoje é meu lindo e grande amor de braços abertos, esse cara especial que logo me encantou com seu charme grisalho e um simples jeito de ser, por quem me apaixonei de imediato. A Bossa Nova me influenciou com seu charme e colaborou para que eu mantivesse vivos dentro de mim, minhas ''ilusões'', sonhos e o desejo de não desistir de viver esse lindo e grande amor que vivo hoje ao lado de alguém tão especial que é Sergio Viula.
Hoje sigo levando a vida ao lado dele na tão falada cidade maravilhosa vivendo minhas ''antigas ilusões'', sonhos e o desejo de me tornar alguém melhor a cada dia. Talvez nunca tenha lá atrás imaginado morar aqui, mas ouvindo, viajando e naturalmente levitando mentalmente com a Bossa Nova, sonhei estar aqui ouvindo esse lindo som ao lado de quem amo, podendo compartilhar com ele, aquele que como a Bossa Nova é, meu nobre, leve e singelo amor, esse cara que me fez ver e viver na prática a verdade desses trechos musicais: "coisas que só o coração pode entender", "fundamental é mesmo o amor" e "é impossível ser feliz sozinho".
"Agora eu já sei da onda que se ergueu no mar e das estrelas que esquecemos de contar, o amor se deixa surpreender enquanto a noite vem nos envolver." (João Gilberto)'.
Por Andre Dias 


Mensagem postada em 02/08/2016 por Andre Dias no Facebook e copiada aqui com autorização dele.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Minha resposta:

Eu vinha do trabalho quando recebi a mensagem dele no Whatsapp me pedindo para dar uma lida numa mensagem em que ele havia me marcado. Ele me disse que era algo que já vinha planejando escrever havia algum tempo. Fiquei curiosíssimo e comecei a ler a postagem pelo caminho mesmo. Não demorou e meu coração foi sendo dominado por um alegria imensa por ver que tudo que ele demonstra no dia a dia estava colocado ali sem medo de assumir seus sentimentos do modo mais transparente e público possível. 

Andre fala sobre o carnaval que ele queria que tivesse sido no Rio até perceber que não ter vindo para o Rio foi justamente o melhor que poderia (nos) ter acontecido - eu acabei indo para lá em vez dele vir para cá, mas nenhum dos dois tinha a menor ideia da existência do outro. Quem quiser saber mais sobre como eu fui parar em Belo Horizonte no carnaval, leia esse post: 



Por que escrever aqui?

Porque os comentários que eu deixei na postagem dele no Facebook não me pareciam suficientes para expressar todo o meu carinho. Então, comentei lá e decidi trazer a postagem para cá: esse espaço onde eu guardo memórias minhas, não apenas notícias e militância. 

Aliás, o que pode ser mais poderoso para transformar o mundo para melhor do que o AMOR? E é justamente esse sentimento que vem transformando nossas vidas também para melhor. Se já tínhamos motivos para nos alegrar antes, agora temos muitos outros e ainda melhores.

Quando eu lembro de cada verso que eu escrevi para você, Andre - todos eles tematizados pela saudade - e penso em tudo o que você escreveu para mim, enquanto esperávamos o tempo se arrastar até o encontro que marcaria nossa definitiva união aqui no Rio, penso em quão belo foi tudo desde o começo.

Os versos (foi um para cada dia de espera, começando quando faltava um mês) estão aqui:



Uma música que sempre me faz lembrar desses dias

Essa música de Bethânia expressava exatamente o que sentíamos, mas ainda expressa quando estamos separados temporariamente por causa do trabalho.



O encontro com as famílias

Depois de um mês morando juntos, fomos visitar a família dele, que me recebeu maravilhosamente. Aliás, assim que ele chegou, meus pais já nos convidaram para um almoço na sexta-feira santa. Quatro pratos com peixes diferentes compondo aquela linda mesa e muita simpatia da parte deles e de uma outra família que eles convidaram para o almoço. Lembro de Andre ter ficado muito bem impressionado com tudo. Mas isso não é exceção. Tudo o que fazemos juntos é mágico mesmo. ^^

Ter visitado a família de Andre um mês depois em BH foi fantástico. Lembro da alegria que sentíamos em cada momento vivido ali. Veja como foi (fotos e tudo):




Aí, veio meu aniversário, que caiu na véspera dos dias das mães esse ano. E passamos momentos maravilhosos juntos. Esse post e fotos dizem muito sobre isso:





E já ali naquele aniversário, Andre me surpreendia com uma linda mensagem que eu também fiz questão de registrar aqui no blog para nunca mais perdê-la de vista:





Depois, veio a Parada de São Paulo - a primeira de nós dois nessa que é a maior cidade do Brasil. Tudo foi mágico, inclusive o pós-parada, quando paramos num bar e ficamos namorando à meia-luz cercado de gente linda e música ambiente maravilhosa. Algumas fotos da parada estão aqui: 20ª PARADA LGBT DE SÃO PAULO (2016): Nós fomos!

Em julho, voltamos a Belo Horizonte, dessa vez para a 19ª Parada LGBT de BH. Aproveitamos para rever a família. Tivemos momentos maravilhosos com eles e na parada. Amei tudo o que vi ali. Foi a minha primeira na capital mineira. 



E como nosso amor curte cada minuto em casa juntos, inclusive cozinhando e curtindo o nosso humilde cantinho e nem é só viajar, militamos dentro do que nosso tempo permite, não é meu gato lindo? A última foi domingo passado, quando a Mídia Ninja tirou aquela foto super emblemática nossa na frente de sentinelas do exército e publicou na página deles no Facebook. Tudo foi inesquecível. Sem falar que nossas inseparáveis 'escudeiras' Katia e Ismênia estavam lá conosco também.



Quem quiser pode ver essa foto nesse post aqui também:




E eu tenho certeza que ainda vamos viver muitas emoções juntos ao longo da nossa existência e vamos realizar muitas coisas maravilhosas, mas digo maravilhosas não porque sejam extraordinariamente grandes. Digo maravilhosas, porque são as que desejamos realizar e são as que acrescentam à nossa vida e experiência conjugal aquilo que valorizamos: amor, paz, harmonia, sossego, crescimento pessoal, cumplicidade, respeito, carinho, admiração um pelo outro e por aí vai.

Você falou em bossa nova, Andre, e também citou João Gilberto. Amei tudo isso! Agora, eu cito Mario Quintana:

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo.

Te amo assim, Andre Dias!
Sergio Viula

Comentários