Amores Santos: Abertura do Rio Festival de Cinema Gênero e Sexualidades



A abertura do Rio Festival de Cinema Gênero e Sexualidade foi neste dia 07 de julho de 2016. Andre e eu fomos. Na verdade, acabamos de entrar em casa, porque ainda passamos no Bar das Quengas, na Lapa, depois do filme.





Assistimos dois filmes: 

1. Um curta brasileiro falando sobre famílias homoparentais. Belíssimo, mas fico devendo o nome. 

2. E o filme de abertura do Festival, Amores Santos. Um verdadeiro desnudamento da hipocrisia dos religiosos que em público perseguem as pessoas LGBT e seus direitos, mas fazem coisas bem diferentes no privado.


Não preciso nem dizer que aplaudi. O filme é fortíssimo, mas nada se comparado à violência que os discursos da Igreja Católica e de várias Evangélicas promovem.

-------------------------------------------------------------

Amores Santos é um documentário que revela a prática religiosa por trás do discurso de ódio contra os homossexuais e, principalmente, os graves danos que o mesmo provoca nas famílias ao redor do mundo, principalmente entre a parcela mais jovem da população. Trailer: https://vimeo.com/142464548

> Atenção público: Cenas fortes. Não é recomendado para menores de 18 anos.





-------------------------------------------------------------

Tem muito mais para acontecer no festival. Saiba mais aqui: http://www.riofgc.com/FESTIVAL2016.html



-----------------------------------------------------------

Veja um trailer do filme AMORES SANTOS






Comentários

  1. Pena que eu nunca vou ao Rio, rs. Aqui em São Paulo está rolando o "Corpo e Gênero como construção" no Sesc: http://www.sescsp.org.br/programacao/99134_CORPO+E+GENERO+COMO+CONSTRUCAO#/content=programacao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena mesmo, Ronaldo, mas obrigado pela dica aí de São Paulo. Vou divulgar aqui agora mesmo.

      Super abraço,
      Sergio

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.