Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Homofobia internalizada - entrevista com Pedro Sammarco no site Lado Bi

Imagem
Está no ar o Lado Bi da Homofobia Internalizada! 
Ouça a entrevista aqui: http://j.mp/247qcfC


Nesta edição, o Lado Bi o discute a homofobia internalizada - quando gays têm preconceitos contra LGBTs. "É tudo que aprendemos de negativo sobre a homossexualidade desde criança, que reproduzimos no próprio meio e que faz com que homossexuais odeiem outros homossexuais e transgêneros", diz o psicólogo Pedro Sammarco, que estuda o tema. Segundo ele, a fonte disso é a misoginia, ou seja, a negação e a depreciação daquilo que a sociedade considera como feminino. Isto afeta a autoestima e coloca a população LGBT no submundo, e a faz adquirir comportamentos autodestrutivos, que são levados por muitos até a terceira idade. "Se o pai da homofobia é o machismo, a mãe é a misoginia", diz ele.

SSEX BBOX: Concentração e resistência pacífica contra os fascistas neste 1 de maio no LARGO DA BATATA - 14:00

Imagem
SSEX BBOX: Concentração e resistência pacífica contra os fascistas neste 1 de maio no LARGO DA BATATA - 14:00



Em tempos de intolerância, alguns caminhos possíveis são a informação e a união: precisamos nos instruir e nos juntar para resistir e oferecer conhecimento contra o conservadorismo machista, sexista, racista, misógino e LGBTfóbico. 

O compromisso do [SSEX BBOX] é criar espaços, físicos e virtuais, que democratizem o acesso à informação, estimulem um diálogo aberto, que permitam que as pessoas descubram mais sobre si mesmas e seus desejos.

http://www.nlucon.com/2016/04/ocupacao-lgbt-resiste-protesto-pro.html


Link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/905134866273722

Sobre a menina transexual de 14 anos assassinada no Paraná

Imagem
Luana Biersack - fonte: Facebook

Assista com atenção. O assunto é sério e a violência não pode ser naturalizada. Temos que nos indignar e agir para mudar isso.



Um fim de semana inesquecível na cidade do meu AMOR

Imagem
Por Sergio Viula

Era dia 21, feriado de Tiradentes. Coincidentemente, Andre é de Minas Gerais - terra do mártir da Inconfidência. Havíamos reservado desde fevereiro uma passagem para mim, porque não sabíamos se ele conseguiria se mudar para o Rio antes disso. Felizmente, juntamos nossas escovinhas de dentes quase um mês antes. Por isso, precisamos fazer uma reserva para ele também. Assim, a viagem não foi mais Sergio-visita-Andre, mas Sergio-e-Andre-vistam-a-família.
Chegamos à Belo Horizonte no dia 21 de abril. O voo saiu pontualmente do aeroporto Santos Dumont e durou pouco menos de uma hora. Tão rápido que nem dá para cansar de ficar sentado.

Voamos pela TAM. Foi um voo perfeito.
Assim que chegamos, fomos direto para o hotel - o mesmo em que fiquei nos dias em que estive em Belo Horizonte pela primeira vez, que foi quando nós dois nos conhecemos. Andre ainda não havia se hospedado lá. Apenas passou rapidamente comigo para pegarmos alguma coisa a caminho da casa dele. Agora, as coisas …

Curtidores de Bolsomico. Os primeiros bloqueados sem pena e sem saudades.

Imagem
TCHAU, QUERIDOS!


Por Sergio Viula


Tenho uma política pessoal de amizade no Facebook que me leva a aceitar todas as pessoas que me adicionam, a menos que elas já tenham me bloqueado usando outros perfis ou tenham sido bloqueadas por mim devido a alguma atitude inaceitável para comigo.

Aliás, custo a bloquear alguém. Até mesmo alguns 'pentelhos' que outros amigos meus já teriam bloqueado - eles mesmos já me disseram isso - costumam ser poupados até um certo limite. Se passarem a ataques pessoais, então, entram para o seleto grupo dos que são candidatos a um sonoro 'block'. Caso contrário, ainda dou o benefício da dúvida.

Agora, depois que o Bolsomico fez aquele discurso necrosado, putrefato, e mais carcomido por larvas do que os cadáveres de alguns dos golpistas de 1964 (já comendo capim pela raiz há algum tempo), não posso admitir manter no meu círculo de amizades no FB gente que curte o que diz esse infame. 

Por isso, fiz uma rápida visitinha à pagina do Bolsotraste hoje, e…

OCUPAÇÃO SSEX BBOX no Rio de Janeiro - 28 de abril de 2016

Imagem
Clique na foto ou no comentário para ser direcionad@ para o grupo do evento. ------------------------
COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO
Minha gente, SSEX BBOX é imperdível, seja lá qual for a programação. Já estive em duas e dizer que amei é pouco demais. Não inventaram uma palavra suficientemente boa para dizer o quanto curti tudo o que aquelas pessoas estranhas (queer) e lindas produziram nas duas ocasiões. ^^
Cariocas, não percam. Compareçam.
Infelizmente, eu trabalho no horário e só fico livre por volta das 22:00. Coloco infelizmente em itálico, porque é bom trabalhar, pena é não poder ir. Se você pode, vá e curta por você e por mim.



Uma teocracia geralmente não nasce nas urnas.

Imagem
Uma teocracia geralmente não nasce nas urnas.
Leia aqui (publicado agora mesmo):
https://viulaateu.wordpress.com/2016/04/17/uma-teocracia-geralmente-nao-nasce-nas-urnas/

Um novo post todo domingo no site Viulaateu.

"Meu nome é Jacque", mas poderia ser "Meu nome é coragem"

Imagem
Siga o grupo no Facebook.
Clique aqui:



E-mail: cineclubelgbt@gmail.com
Twitter: http://www.twitter.com/cineclubelgbt
Foi no dia 15 de abril. às 20:30. O belíssimo cinema Odeon, na Cinelândia, abriu as portas para o lançamento do filme Meu nome é Jacque, produzido por Angela Zoé.
Chamei meu amor (André) e duas das minhas meninas mais queridas (Kátia e Ismênia) para vermos o filme. Ficamos mais do que tocados com a história de Jacqueline. Ficamos emocionados, fomos inspirados e confrontados com a capacidade de superação que uma mulher como ela precisou desenvolver para chegar onde chegou. E que caminhada!

Ao final do filme, seus irmãos e marido estavam lá para conversar com o público. Foi um momento inesquecível!

Cinema lotado, imprensa na porta, produtores absolutamente realizados, e Jacqueline com seus familiares vendo o filme pela primeira vez conosco - a plateia sortuda que pôde assistir essa história linda e muito bem contada. 

A plateia aplaudiu de pé e por tempo muito mais longo do que a…

Dia do beijo. Então, tá. A gente se beija [E novo! E de novo! E de novo!]

Imagem
Num determinado momento dessa manhã, André me diz: "Sabia que hoje é o dia internacional do beijo?". Respondi: "Sério? Então, vem cá para eu te beijar muito". Ele riu e veio. Daí, pensei: por que não publicar uma foto nossa, com uma cena de beijo bem singela, no Facebook? Publiquei. Um monte de gente curtiu. Daí, pensei: Vou colocar alguma coisa no blog também. Afinal de contas, vamos beijar sem medo de sermos felizes, porque felicidade renova a vontade de viver. E o que pode gerar mais felicidade do que o amor?

Essas duas primeiras fotos foram as que tiramos em casa e no Forte de Copacabana. A primeira foi no dia que juntamos as escovinhas de dentes. E a segunda foi num passeio ao Forte na sexta-feira passada. A foto em preto e branco foi tirada por André logo depois da publicação dessas duas e postada na timeline dele. Essa foto é mais divertida, porque parece que estamos mandando beijos para os amigos e amigas que nos acompanham. 

Então, sintam-se beijad@s. ^^






Jogador de Basquete explica por que saiu do armário depois de ser violentado

Imagem
O astro do esporte também discutiu sua batalha contra a depressão e sua quase tentativa de suicídio.
A notícia foi publicada por Joe Williams
no portal Pink News em 1 de abril de 2016


Traduzido por Sergio Viula para o Blog Fora do Armário



Nathan quase perdeu a vida enquanto batalhava contra a depressão



Nathan Fort disse que decidiu sair do armário depois de sobreviver a uma tentativa de suicídio quase fatal e à superação de violência sexual. O jogador de basquete universitário admitiu que antes de se resolver quanto à sua sexualidade, ele havia sido homofóbico e "odiado" pessoas LGBT.

Ele disse inclusive que "gays não tinham qualquer propósito no mundo", porém acrescentou que sabia que, no fundo, estava apenas tentando esconder seus verdadeiros sentimentos.

Depois de lutar para superar seus verdadeiros sentimentos, Fort considerou tirar a própria vida pulando num precipício. Numa reviravolta cruel, ele caminhou para longe da beirada do precipício, escorregou e caiu em…

Autoridades sauditas querem pena de morte para quem sair do armário

Imagem
Um relatório publicado indica qu epessoas que saírem do armário na Arábia Saudia poderiam enfrentar pena de morte.Traduzido por Sergio Viula para o Blog Fora do Armário






Oraz, um jornal saudita, reportou no sábado passado que procuradores da cidade de Jiddah propuseram nova lei com pena de morte em resposta a dezenas de casos que eles processaram nos últimos seis meses. Estes incluem 35 pessoas que receberam sentenças de aprisionamento por sodomia.
Okaz reportou  que as autoridades de Jiddah processaram 50 casos em que homens supostamente se vestiram como mulheres. Um médico que mora na cidade portuária no Mar Vermelho foi solto depois de pagar fiança por ter sido preso sob a acusação de ter hasteado uma bandeira do Orgulho LGBT sobre sua casa.

Um homem gay saudita que mora fora do reino disse ao Washington Blade na segunda-feira, durante uma entrevista telefônica, que as penalidades reforçadas que os procuradores de Jiddah propuseram se aplicariam ao país inteiro. O homem, que administra…

Cazuza: Aniversário seria o de 58 anos hoje.

Imagem
Por Sergio Viula


Acordei, abri a Internet para começar as rotinas do dia, e dei de cara com o Doodle acima publicado pelo Google. Amei de cara. Era aniversário do Cazuza. Se estivesse vivo, faria 58 anos hoje. O mesmo cara que em 1985 encantou no Rock'n Rio, e em sua breve, mas frutífera carreira musical, arrastou multidões. 

Rebelde, contestador, ora mal educado como um adolescente sem limites, ora gentil como uma criança carente, Cazuza me deslumbrava com seu jeito de ser. 

Na verdade, os dois artistas brasileiros que mexiam comigo eram Lauro Corona (ator) e Cazuza (cantor). O primeiro, antes mesmo que eu soubesse o que era uma relação sexual. O segundo, bem depois da minha primeira transa. 

Em 1985, quando ele cantou no Rock'n Rio, por exemplo, eu tinha meros 16 anos de idade. Já havia me relacionado com outros meninos - um deles dos 12 aos 14 anos. Infelizmente, no início dos 16, eu já havia entrado em contato com crenças fanáticas e carregadas de homofobia sistemática. Dois …