Gigantes do mundo empresarial contra a discriminação de pessoas LGBT no trabalho







O CEO do Amazon.com, Jeff Bezos. A empresa Amazon é parte de um novo grupo pro-LGBT chamado Coalização Empresarial pela Lei de Igualdade (tradução aproximada de Business Coalition for the Equality Act)  Em 2012, Bezos doou 3,5 milhões de dólares para a campanha que apoiava o casamento igualitário. 



Três gigantes da economia ocidental - o Amazon, a Microsoft e a Nike - são parte de uma nova coalizão empresarial para promover um projeto de lei que cubra a comunidade LGBT com as devidas garantias contra a discriminação.

Um total de 60 grandes empresas aderiram à Coalização Empresarial pela Lei de Igualdade (Business Coalition for Equality Act), anunciado na quinta-feira, dia 10/03/16. A lista alfabética vai da Apple e American Airlines até a Unilever e a WeddingWire Inc.

"Esse líderes empresariais estão demonstrando verdadeira liderança e lutando para acabar com um vergonhoso status quo que deixa as pessoas LGBT em risco na maioria dos estados [americanos] terem serviços negados ou serem demitidas por causa de quem elas são ou de quem elas amam" - disse Chad Griffin, presidente da ONG Human Rights Campaign (HRC).

A HRC é a lobista por direitos LGBT mais destacada e respeitada. Ela tem sido bem-sucedida em construir apoio corporativo para mais um projeto de lei pendente no Congresso - a Lei de Não-Discriminação no Emprego (Employment Non-Discrimination Act).

Trinta e dois estados carecem de garantias inclusivas de não-discriminação para as pessoas LGBT, e não existem proteções federais anti-discriminação explícitas.

Comentários