PEZÃO, EZEQUIEL TEIXEIRA, NÃO! - Convocação para concentração dia 21/12/15 - saiba mais

Por Sergio Viula
Blog Fora do Armário
*Texto em vermelho é fala minha.



A manchete de O Globo diz o seguinte: 


Pezão demite economista e coloca pastor na Assistência Social para beneficiar Leonardo Picciani


Luiz Fernando Pezão acaba de decidir pela exoneração da secretária estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio, a economista Teresa Cosentino, para empossar um deputado federal da coligação do PMDB no ano passado e, dessa forma, levar à Câmara mais um deputado federal do PMDB para fortalecer a bancada favorável a Leonardo Picciani na disputa.

O novo secretário será Ezequiel Teixeira, pastor e recém-filiado ao Partido da Mulher Brasileira. Com sua nomeação, subirá à Câmara Átila Alexandre, do PMDB e Picciani desde criancinha.

Teresa era o primeiro nome técnico da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos em anos. Ao longo do governo de Sérgio Cabral, com exceção do economista Ricardo Henriques, em 2010, a pasta foi usada para barganha política, ora cedida ao PT, ora ao Solidariedade.

Desta vez, não foi diferente.

Fonte:


Essa notícia não é nada irrelevante. Muito pelo contrário, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos é um órgão fundamental para a implementação de políticas públicas voltadas aos mais vulneráveis. Colocar um pastor fundamentalista, neo-pentecostal, adepto da Teologia da Prosperidade (leia-se teologia dos pastores caça-níqueis), homofóbico e transfóbico, não é brincadeira, não. E veja a contradição: Ezequiel Teixeira é filiado a um partido que supostamente defende os direitos das mulheres, mas é esmagadoramente formado por homens. E por homens machistas patriarcalistas - o que é a cara desses pastores fundamentalistas. 

Nas eleições de 2014, 0 TRE fez buscas em igrejas de Duque de Caxias, estado do Rio de Janeiro, em busca de material de propaganda eleitoral. Além de ser proibida a prática de "curral eleitoral" - pastores e seus assistentes não podem usar a igreja como plataforma de campanha e nem coagir os membros a votarem neles -, não se pode fazer propaganda de boca de urna, isto é, do dia anterior até o final da votação. E eu mesmo cansei de ver "santinhos" do nada santo Ezequiel Teixeira e sua turma pelas ruas no dia da votação. Pois bem, o material que promovia Ezequiel Teixeira estava no meio desse furdunço, como também registra o jornal O Globo:


DENÚNCIAS DE FIÉIS

A fiscalização do TRE de Duque de Caxias chegou às igrejas por meio de denúncias de fiéis. Segundo o coordenador de fiscalização de propaganda eleitoral, Wagner Rabello Júnior, os próprios membros da Igreja Internacional da Graça de Deus denunciaram que estavam sendo coagidos a fazer campanha para candidatos do Partido Republicano (PR). No interior de uma das filiais da Internacional, na Vila São Luis, havia fichas de autorização de fiéis para colocar placas dos candidatos em suas residências. Na mesma igreja, os fiscais apreenderam também um cadastro de famílias. Havia ainda cartões do candidato Marcos Soares com o endereço de sua página em redes sociais para que acompanhassem o seu trabalho como político.

Nas outras duas igrejas, o cenário era o mesmo: placas e panfletos de candidatos escondidos dentro do templo. Na Assembleia de Deus da Família, coordenada pelo pastor Edinaldo Silva, o material era do deputado estadual e candidato à reeleição Dica (PMDB) e do candidato a deputado federal Ezequiel Teixeira (SD), que também é pastor. A igreja, segundo Edinaldo, tem cerca de 12 mil fiéis, e a propaganda encontrada no local foi deixada por um deles:

— Ele disse que apanharia hoje (ontem) às 9h, mas não apareceu.

Na semana passada, O GLOBO esteve no local e flagrou as mesmas placas no interior da igreja.




Em 2011, mo G Notícias, site de notícias gospel, publicou a seguinte notícia, envolvendo suposto golpe de Ezequial Teixeira sobre um casal que frequentava a igreja dele e que colaborou para que ele adquirisse o Cine Ramos, na área da Leopolidna, Zona Norte do Rio:

Dinheiro, igreja e pastor são três coisas que parecem, quando juntas, sempre gerarem polêmica.

“Minha casa está penhorada por dívida do Projeto Vida Nova. Exijo medidas urgentíssimas do apóstolo Ezequiel Teixeira” essa era a frase escrita em uma das faixas exibidas em frente a uma das filiais da igreja Projeto Vida Nova pelo casal Daniel e Zélia.

Membros do Projeto durante muitostempo o casal conta que há trinta anos foram avalistas de uma transação realizada pelo Pastor Israel Teixeira que, na ocasião, resolveu comprar uma sala de cine , o ex cine de Ramos, para abrir mais uma filial de sua igreja.

O que aconteceu, segundo Daniel, é que o pastor não tinha dinheiro para dar como sinal na compra do imóvel e pediu que ele junto com mais sete membros da igreja abrissem uma conta no extinto banco Bamerindus e fizessem um empréstimo. Porém, só poderia entrar no negócio quem tivesse imóvel próprio registrado. Na época, o casal obteve apoio do pastor Ezequiel Teixeira para seguir em frente no empreendimento, afirma ainda Daniel.

Depois de alguns anos, ao tentar vender a casa, o casal foi surpreendido com a notícia de que o imóvel está em penhora, foi quando descobriram que os pastores não haviam honrado o compromisso: “Sou um homem de honra, nunca fiquei devendo a ninguém, agora na minha velhice estou vivendo sem paz, porque tenho medo de uma hora pra outra leiloarem minha casa” desabafou Daniel.

O casal disse ter sido ameaçado pelo Apóstolo Ezequiel Teixeira que não gostou da manifestação feita por eles em frente à igreja dele: “O Apóstolo Ezequiel Teixeira ficou muito irado por termos feito à manifestação na frente da igreja dele, e me ligou aos berros, dizendo que tinha uma boa notícia para me dar, que iria me processar”, mas Daniel e Zélia se mostram confiantes e dizem que se houver justiça eles sairão vencedores.

O Projeto Vida Nova de Irajá não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: 

Em junho de 2015 (nesse ano mesmo), Ezequiel Teixeira se juntou a Marco Feliciano e outros inimigos da comunidade LGBT, e de sua luta por direitos iguais, para achincalhar o Conselho Federal de Psicologia e promover a famigerada "cura gay" - um absurdo rechaçado em vários países do mundo e pelas mais respeitadas organizações de saúde mental e estudos sobre comportamento humano no Brasil e no exterior. Perderam. Mas, revelaram muito do ódio LGBTfóbico que nutrem contra qualquer sinal de reconhecimento da dignidade das pessoas LGBT, suas individualidades, subjetividades e direitos fundamentais.

O site da UOL publicou o seguinte (grifo meu):

O deputado Ezequiel Teixeira (SD-RJ) foi mais direto e questionou a resolução do Conselho Federal de Psicologia que impede profissionais de oferecerem terapias para "tratar" a homossexualidade. "Quem é que fez essa decisão? Quem compõe essa comissão? Isso não é democracia", disse Ezequiel. 

Fonte: 

Respondendo ao questionamento idiota do apostoleco: "Quem é que fez essa decisão? Quem compõe essa comissão? Isso não é democracia". De fato, não tem nada a ver com democracia. É ciência. E não se estabelece o que é válido cientificamente por meio de voto parlamentar. E não é um pastoreco, que acredita em cobra falante, que vai ditar o que a ciência deve reconhecer ou rejeitar no campo do conhecimento. 

Essa mesma matéria, o site da UOL registra que o deputado Sóstenes Cavalcante propôs até mesmo uma tal de "bolsa ex-gay":

O deputado Sóstenes Cavalcante disse que, inspirado pelas bolsas a usuários de crack e a travestis criadas pela Prefeitura de São Paulo, irá sugerir a criação de uma "bolsa ex-gay". "Eu questionei o prefeito de São Paulo [Fernando Haddad] que fez um 'bolsa crack', eu questionei por que ele fez um bolsa prostituta. Tem lá um monte de bolsa. A partir de hoje, no mais curto espaço de tempo, vou protocolizar um projeto pela dor de vocês, um projeto de bolsa ex-gay", afirmou.

A sugestão arrancou risadas dos presentes à audiência.

Eles deram risadas? Só pode ter sido de prazer. Devem ter imaginado quanta grana entraria nos cofres dessas igrejas, graças a um bando de gente mal-resolvida que tem parentes com mentalidade ainda mais adoecida do que a desses pastores. Só que, além do dinheiro desses coitados, ainda entraria dinheiro público. Essa gente não merece ganhar nem campeonato de jogo de botão, quanto menos eleições ou cargo público!

Sugiro que leiam uma entrevista que concedi a UOL sobre cura gay, depois de ter ajudado a fundar e ter trabalhado com um desses grupos - O MOSES (Movimento pela Sexualidade Sadia): http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2015/01/14/ex-pastor-que-pregava-cura-gay-e-homossexual-e-diz-e-uma-farsa.htm

Por tudo isso, Ezequiel Teixeira nunca deveria ter sido cogitado para ocupar um cargo tão importante no Estado do Rio de Janeiro, muito menos a convite de um governador que ganhou as eleições por pouco sobre o candidato Crivella no ano passado. E se conseguiu vencer foi porque muitos cidadãos LGBT preferiam um governador sem vínculos com igrejas fundamentalistas a outro que é sobrinho de um dos maiores exploradores da fé no Brasil, Edir Macedo, sendo o próprio Crivella farinha do mesmo saco.

MUITO IMPORTANTE: DIGA NÃO A ESSA MANOBRA GOVERNISTA E FUNDAMENTALISTA




Participe dessa mobilização que vai acontecer na próxima segunda-feira, 22 de dezembro, ao meio-dia, em frente ao Palácio Guanabara, nas Laranjeiras.

Diante da nomeação do "Apóstolo" Ezequiel Teixeira para a Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH-RJ), dizemos NÃO!

Ezequiel Teixeira é um nome conhecido por seus posicionamentos contrários à defesa dos Direitos Humanos: votou a favor da Redução da Maioridade Penal; é abertamente contra a união civil entre pessoas do mesmo sexo, quando se coloca enquanto opositor ao reconhecimento de famílias não-normativas; não possui engajamento, histórico e nem perfil técnico para o cargo e ainda é estrategicamente colocado nessa cadeira por uma barganha política do PMDB.

Ezequiel Teixeira representa um RETROCESSO a todos os avanços em políticas públicas alcançadas por mulheres, LGBTs e toda a militância defensora dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos!

É hora de nos mobilizar contra essa negociata que nos coloca a todas e todos como meros expectadores do desmonte das políticas públicas pela dança das cadeiras institucionais! Direitos não são negociáveis!

Segunda-feira, 21/12/15, com concentração ao meio-dia e ato às 14h. 

Chama todas!

Grupo organizado no Facebook por: Tiko Arawak, Renatinho Mota, Eula Rochard, Priscila Bastos, Júlio Moreira

VISITE O GRUPO, CONFIRME PRESENÇA, DIVULGUE E COMPAREÇA:

Comentários