Conheça um pouco mais da intimidade do jovem trans Di Santos e sua esposa Cacau

ATUALIZAÇÃO EM 20/03/2016:

DI SANTOS AGORA É BART SANTOS, OFICIALMENTE.

PARABÉNS PELA TROCA DO NOME, BART!!!

Cacau e Di Santos, o jovem trans da campanha EU SEM CAMISA



Ananindeua, Pará
Eles moram em Ananindeua, Pará. Di Santos e Cacau são um casal super simpático que trabalha duro para se manter e enfrenta desafios como quase qualquer brasileiro, com algumas exceções. Entre elas, os procedimentos relacionados às modificações físicas para atenderem a sua identidade de gênero. Di é um homem trans que estuda Engenharia de Produção na Faculdade Estácio, em Belém (antigo IESAM), e, ao mesmo tempo, faz Licenciatura em Língua Alemã pela UFPA. 

Com apenas 28 anos de idade, esse jovem, que é um cavalheiro em todas as suas interações, já enfrentou muita coisa na vida, mas persistiu em buscar a realização de seus sonhos. Cacau, essa mulher fantástica que compartilha sua vida com ele, tem tornado tudo mais suave.


Ontem, depois que eu cheguei do trabalho, decidi adiantar um pouco mais da minha pesquisa de mestrado, mas fiquei intercalado uma leitura e outra com um bate-papo gostoso, via Whatsapp, com esse casal fofo. 

Di me contou que havia acabado de chegar em casa. Era super tarde. Cacau, carinhosa como sempre, havia preparado um jantar singelo, mas delicioso. Ele estava todo bobo com o carinho e se derreteu em declarações de amor por ela. E estava certíssimo. Cacau é parceira para todas as horas. 

Em seguida, ela chega ao telefone e me diz: 

Tacacá: uma das delícias paraenses

- Quando é que você vai vir aqui no Pará provar um tacacá, hein, Sergio?

- Puxa, adoraria ir agora mesmo, mas é complicado, Cacau. Eu moro muito longe, mas acho que irei um dia.

E pensei quase ao mesmo tempo: Ah, se ela soubesse como amo camarão!


A primeira coisa que me chamou atenção em Di Santos e Cacau foi a luta que tem travado - e que ela tem apoiado - para realizar uma operação de mamoplastia. Por ser um homem trans, Di ganhou seios na puberdade, mas nunca conviveu com eles em paz. Coisas simples, tais como varrer a calçada sem camisa, tomar banho de sol à beira de uma piscina, mergulhar num rio ou lagoa, curtir um banho de cachoeira não são possíveis para ele. Essas experiências aparentemente banais são coisas que Di ainda não pôde vivenciar - só para citar algumas.

Sem dinheiro para cobrir as despesas da operação, Di decidiu lançar uma vakinha online.  Quando soube disso, decidi entrar de cabeça, tanto colaborando quando divulgando. Felizmente, muitos amigos e amigas ajudaram, mas ainda falta muito para atingir a meta. Por isso, decidi publicar uma entrevista com ele aqui no Blog Fora do Armário, que você poderá: ver aqui:
http://www.foradoarmario.net/201 5/10/eu-sem-camisa-di-santos-um-homem.html

Também produzi um singelo vídeo para a campanha EU SEM CAMISA. Assista o vídeo abaixo.

Você pode acessar o grupo da campanha no Facebook: https://www.facebook.com/groups/517944281704241/


Se você está disposto ou disposta a colaborar, acesse o site da vakinha online aqui:  https://www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-eu-sem-camisa/contribua

Di e sua mãe

Colaborações a partir de cinco reais são bem-vindas, mas se você puder dar mais, a meta para cobrir a operação de Di Santos será atingida mais rápido. 

O Blog Fora do Armário vai acompanhar cada etapa dessa transição. Seja parte da realização dessa transição tão importante para ele. 

Curiosamente, desde que a campanha foi lançada, amigos e desconhecidos têm se aproximado de Di na faculdade e na vizinhança. Sinal de que a divulgação está indo longe. 


Ajude a divulgar. Compartilhe esse post. E, se puder, colabore com a vakinha online para a cirurgia também.



O sorriso da esperança. Não é fantástico ver gente feliz?



Grupo da Campanha: https://www.facebook.com/groups/517944281704241/

Entrevista com Di Santos:

http://www.foradoarmario.net/2015/10/eu-sem-camisa-di-santos-um-homem.html

Vakinha online. Colabore aqui:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-eu-sem-camisa/contribua

Comentários