Desabafo de um leitor ainda no armário: Abra sua mente, gay também é gente.


Abra sua mente, gay também é gente. 


ENVIADO POR UM LEITOR DO BLOG FORA DO ARMÁRIO
QUE ESTÁ DE BEM CONSIGO MESMO ATUALMENTE, MAS AINDA NÃO SAIU DO ARMÁRIO PARA SEU CÍRCULO DE AMIGOS E DE PARENTES.

 
Não posso afirmar com clareza se complicada é a definição certa, entretanto não é nada fácil aceitar que sua vida seja diferente das arbitrárias interpretações sobre como a anatomia do corpo deveria funcionar – digo diferente no que diz respeito ao objeto de minha atração sexual, pois, de minha parte, não vejo o menor impedimento à realização de quaisquer das atividades que qualquer pessoa heterossexual realize.

Arrependo-me de várias vezes ter pedido a Deus que me concedesse um milagre, pois já havia notado algo estranho no meu corpo e que, sem conhecer profundamente, considerava-o profano. Só hoje, após pesquisar e encontrar respostas para várias indagações, consegui entender porque Ele não considerou minhas invocações, simplesmente porque não havia nada de errado comigo.

É válido ressaltar que a partir do momento que você nota as diferenças até aceitar plenamente essa imposição, o caminho a ser percorrido é longo e árduo. Chega um momento que nos percebemos a beira de um abismo, em que cogitamos até o suicídio - sem exageros - apesar de nunca ser a decisão correta a ser tomada. A carga emocional por nós carregada é muito grande, mas o aconselhável é buscar forças e agir com o racional.

Devemos enfrentar todos os empecilhos que a sociedade conservadora irá nos impor, pois apesar de sermos “diferentes”, somos seres humanos como todo o resto, por isso temos o dever de cobrar nossos direitos como todo e qualquer cidadão, a fim de que todo o preconceito velado seja sanado e que o respeito seja um valor superior aos outros.

Por fim, que a intolerância um dia possa ser extinta e que todas as manifestações de amor sejam aceitas em sua plenitude. Só assim poderemos ecoar, sem nenhum receio, a canção de Lulu Santos na qual diz: “Consideramos justa toda forma de amor.”.

************************

O AUTOR DESSE TEXTO ME ENVIOU O SEGUINTE QUANDO ME AUTORIZOU A PUBLICAR, DESDE QUE NÃO O IDENTIFICASSE:

Esse texto foi um desabafo meu para com minha auto-homofobia! A partir desse momento passei a me aceitar plenamente, o que já um meio caminho para que as outras pessoas me aceitem!

Desejo sinceramente que ele possa sair do armário completamente muito em breve. Ele certamente encontrará seu próprio jeito de fazer isso. E que esse "desabafo" inspire muita gente LGBT a se livrar das sujeições a que se submeteram e pessoas não LGBT, especialmente familiares e amigos destas, a respeitarem e valorizarem seus parentes e amigos que o sejam. ;)

Comentários