Como foi o SSEX BBOX Sorocaba




Aeroporto Santos Dumont indo para Sorocaba - 29/03/15





Da direita para a esquerda: Ana, Tatiana, Olívia, Dea, Lorenze, Sergio, Ana Maria, Bruna Oliveira e Kalel Sousa.


Mariana e eu.


Todo mundo na van, saindo de Perdizes (São Paulo) para o SESC de Sorocaba (SP)

 
Típica foto de espelho, só que num camarim maravilhoso: Virgínia, eu, Tatiana e Ana


Camarim com direito a lanche caprichado. Dea arrasou no café expresso.




Lorenze distribuindo simpatia no stand do SSEX BBOX. Meu livro ao lado do Manifesto Contrassexual. É muita marra! :)


Tatiana, Virgínia e eu.


Filme produzido por Virgínia: Sergio Simone, a história de uma travesti que vira pastor, vira travesti de novo, vira pastor novamente e agora é uma estranha síntese dos dois, sincretizando candomblé e evangelicalismo numa nova igreja de Salvador, BA.


Ana fazendo a abertura do evento, pouco antes de nos convidar para a roda de conversa.

 
Estou lendo. É de pirar na batatinha. Adooro! 
Desestrutura mesmo. 
Olha o detalhe do "furingo" no canto direito.

O evento SSEX BBOX, realizado no SESC Sorocaba ontem, e produzido por uma galera super bem-humorada e empenhada em fazer tudo com carinho e qualidade (agradecimentos especiais a Olívia Pavani, Ana Ferri e Dea Zanella- as três mosqueteiras (ou doces amazonas?) que nos receberam carinhosamente em sua linda casa em São Paulo e que pensaram em simplesmente tudo para tornar esse encontro super especial para todos e todas), foi um sucesso absoluto. 

Virgina de Medeiros (SP), artista visual, apresentou o filme Sergio Simone (apenas uma versão curta do filme que foi apresentado num festival em São Paulo) e nos provocou sensações e ideias as mais diversas. Trata-se de uma travesti (Simone) que é do Candomblé, vira crente e pastor (Sergio - meu xará por coincidência) e depois vira travesti de novo, e depois vira pastor de novo, até que faz em si mesma/o uma síntese pastor/travesti/evangelicalismo/candomblé e organiza uma igreja em padrões nada convencionais e cheia de misticismo tanto evangélico como candomblecista.

Sergio Viula (RJ, e este que vos escreve) falou sobre fundamentalismo, diversidade sexual e os esquizofrênicos movimentos de "cura" gay. 

Tatiana Lionço (DF) falou sobre política, gênero, sexualidade, sua própria militância nas ruas, na internet e na Câmara dos Deputados em Brasília. Foi extremamente enriquecedor como panorama da situação atual no país.

As falas de 15 minutos cada foram seguidas por perguntas e inserções da plateia, com respostas ou ponderações dos convidados. O evento inteiro levou cerca de duas horas, incluindo dois curtas, as falas e as trocas com a plateia.

Todos saímos muito satisfeitos com a competência e atenção com que a equipe do SESC conduziu tudo, com a participação dos presentes, com a produção da equipe do SSEX BBOX e com o modo fantástico com que nossas falas se integraram, perpassaram, dialogaram umas com as outras.

Fiquem ligados, porque vem mais por aí. Falarei por aqui mais adiante. 

Quem quiser comprar o livro Manifesto Contrassexual pode falar com a Dea. O perfil dela no Facebook é: https://www.facebook.com/dea.zanella.


E quem desejar comprar Em busca de mim mesmo pode pedir por encomendar por aqui: https://www.facebook.com/pages/Livro-de-Sergio-Viula-Em-Busca-de-Mim-Mesmo/332188216833888

Siga esse esquema aqui:


Capa da revista SESC (Programação Março de 2015)

Revista SESC (Programação Março de 2015) - Veja a setinha rosa (foi uma forma de grifo meu)

Comentários