LGBT na mídia internacional durante a primeira semana de 2015

 

EUA

Casais homoafetivos da Flórida poderão se casar finalmente! Essa semana a, graças a decisão de um tribunal federal, a proibição estadual contra o casamento homoafetivo foi banida na Florida. Com isso, já são 36 estados celebrando o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A longa batalha judicial foi provocada por ação de conservadores e fundamentalistas contra aqueles que defendem direitos civis plenos e iguais para todos. Venceu, felizmente, a justiça e a igualdade.



EGITO

Ao mesmo tempo em que os EUA vão deixando para trás um passado de perseguição e discriminação contra seus cidadãos e imigrantes LGBT, o Egito, com sua ditadura militar, faz exatamente o contrário. Essa semana 26 homens gays foram presos numa sauna do Cairo como resultado de uma perseguição que começou quando o ex-chefe do Exército e atual presidente, Abdel Fatah al-Sissi, sucedeu o islamita Mohamed Mursi no poder, em julho de 2013.



MOÇAMBIQUE


Mas um dos piores redutos de homofobia promovida pelo Estado ou tolerada por ele atualmente revogou as leis anti-gays que vigoravam no país. A revista Fórum informa:

O presidente de Moçambique Armando Guebuza promulgou o projeto de revisão do código penal que acaba com qualquer dúvida em torno da situação das relações entre pessoas do mesmo sexo no País: homossexualidade não constitui crime.


O novo código penal revogou duas leis da época de colônia que criminalizavam relações “anti-naturais”. Datado em 1886, o antigo código penal aplicava medidas de segurança “aos que se entreguem habitualmente à prática de vícios contra a natureza” (Art. 70 e 71).


A nova lei, que também reafirma o código que não permite a demissão por orientação sexual, foi fruto de um trabalho de lobbies e advocacia iniciado em 2010 pela Associação Moçambicana para a Defesa das Minorias Sexuais (Lambda) junto às organizações da sociedade civil (OSC) e instituições do Estado.


ÍNDIA

Na Índia, onde a homossexualidade ainda é ilegal, uma transexual venceu as eleições para a prefeitura de Raigarh, na região central da Índia. Domingo, dia 04, Madhu Kinnar derrotou seu adversário mais próximo, Mahaveer Guruji, do Partido Bharatiya Janata, por uma diferença de 4.537 votos.

--------------------------------



O homem que amava mendigos é um romance onde nada é exatamente o que parece, mas tudo vai se descortinando sem delongas. É dinâmico e bastante diversificado em termos do que compõe a experiência humana no campo da afetividade e da sexualidade.

O romance é oferecido exclusivamente pelo Amazon. Saiba mais aqui: http://www.amazon.com/dp/B00RURKA06 
 

Comentários