Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Governo do RJ: Dia da Visibilidade Trans

Imagem
Uma iniciativa do Rio Sem Homofobia, da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos http://www.riosemhomofobia.rj.gov.br/
Com o lema “Respeitar é... reconhecer que as pessoas são diferentes e ao mesmo tempo são iguais em direitos”, ação educativa marca Dia da Visibilidade Trans.  O evento foi realizado no teatro da Biblioteca Parque Estadual e contou com participações artísticas, compartilhamento por pessoas transexuais e travestis, além de discursos de várias autoridades. Tendo a linda e simpática Marcia Vilella como mestre de cerimônia, o evento começou pouco depois das 15:00. 
Jani Di Castro fez as duas primeiras apresentações musicais, mas não deixou de dar seu recado. Jani, que se identifica como travesti, arrancou aplausos ao dizer o seguinte:
"Em vim de uma realidade tão difícil que ao ver uma coisa como essa, o que dizer? Vencemos!"
Entende-se melhor o que ela quis dizer com isso quando ma…

Transexual e musicista Raine Holtz fala sobre seu projeto musical Through Waves

Imagem
O nome dela é Raine Holtz, e o projeto musical se chama Through Waves
Ela é transexual, musicista independente e faz um trabalho fantástico produzindo seus próprios álbuns. Seu palco principal? As ruas de Curitiba. Hoje, Dia da Visibilidade Trans, Raine Holtz está está lançando um projeto de financiamento de seu novo álbum. Assista o vídeo que ela preparou sobre o projeto e saiba mais:


https://www.youtube.com/watch?v=X_8U3-Eus7M

**PROJETO DE FINANCIAMENTO COLETIVO**
· álbum: "Confluence: The Rivers of Sorrow"

Produção da edição limitada em CD + livro do álbum, em 50 cópias assinadas e enumeradas à mão (ou produção das mesmas sob demanda de quem escolher contribuir).

Álbum composto, gravado, produzido e lançado de forma COMPLETAMENTE INDEPENDENTE! Proposta de financiamento coletivo para incluir vocês na etapa final e mais significativa de sua produção. Sem "middle man", gravadoras gananciosas, dinheiro alto ou "massificação" de arte: apenas a artista e a…

Secretaria de Assistência Social e de Direitos Humanos do RJ: Lançamento da ação educativa da Visibilidade Trans

Imagem
Em 29 de janeiro, Dia da Visibilidade Trans, será lançada a ação educativa "Respeitar é... reconhecer que as pessoas são diferentes e ao mesmo tempo são iguais em diretos", iniciativa do Conselho de Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Estado do Rio  e do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SUPERDIR/SEASDH).

O evento acontecerá às 15h do dia 29/01, na Biblioteca Parque Estadual (Avenida Presidente Vargas, 1261 - Centro).





Musicistas, atrizes transformistas, cantoras, professores e professoras, gestores, profissional liberal, militar, entre outras pessoas, integram o grupo de 18 protagonistas entre homens e mulheres trans e travestis que se disponibilizaram, voluntariamente, a participar como modelos da Ação Educativa de Visibilidade e Cidadania Trans. A iniciativa é do Programa R…

Estudo: Abordagem da imprensa em Pernambuco reforça criminalização das travestis

Imagem
Pesquisa mostra que a abordagem da imprensa em Pernambuco reforça criminalização das travestis. Que toda a imprensa brasileira reflita sobre isso e mude o que precisa ser mudado no modo como lida com os fatos relacionado a esse segmento.  Abordagem da imprensa em Pernambuco reforça criminalização das travestis
Por Antonio Lira

De acordo com um relatório da ONG internacional Transgender Europe, entre 2008 e 2013, o Brasil foi o país com o maior número de assassinatos de travestis e transsexuais do mundo. Preocupado com a violência sofrida por essa parcela da população, Bruno Robson de Barros Carvalho procurou avaliar a abordagem da imprensa pernambucana em relação as travestis. Ao analisar os principais jornais de Pernambuco, o pesquisador concluiu que a construção discursiva das reportagens que tratam de travestilidade em contextos de criminalidade, acabam por criar um afastamento entre o leitor e a travesti vítima de violência, reafirmando a condição marginal das mesmas.
LEIA …

INDEX books: O Bom Crioulo, o 1º romance homossexual em português (edição revista e anotada)

Imagem
PRESS RELEASE Os nossos contatos: Email: indexebooks.com@gmail.com Site: www.indexebooks.com Blog: index-books.blogspot.com

Lisboa, 29 de dezembro de 2014
O Bom Crioulo, o 1º romance homossexual em português
A INDEX ebooks tem o orgulho de anunciar a publicação de uma edição revista e anotada do primeiro romance homossexual em português, O Bom Crioulo, do brasileiro Adolfo Caminha, publicado em 1895. 
Amaro, um imponente e lúbrico marinheiro negro, escravo fugido de uma fazenda do interior do Rio de Janeiro, apaixona-se por Aleixo, um jovem e ingénuo grumete branco, que conhece no seu navio de guerra. Mas o destino separa-os e, quando Amaro finalmente reencontra Aleixo, as suas piores suspeitas confirmam-se. O Bom Crioulo causou escândalo devido à frontalidade e ao erotismo, pouco usuais para a época, com que aborda temas tabu, como o sexo inter-racial e a homossexualidade em ambiente militar.
Adolfo Caminha, nasceu em 1867 e, com 16 anos, entrou para a Marinha de Guerra. Cinco anos mais tarde…

Como a história da vida familiar tem sido amplamente mal interpretada pelos conservadores

Imagem
A história da vida familiar tem sido amplamente mal interpretada pelos conservadores.




Por George Monbiot, publicado no Guardian 15 de maio de 2012
Fonte: http://www.monbiot.com/2012/05/14/kin-hell/
Tradução: Sergio Viula 

“Por toda a história e em virtualmente todas as sociedades humanas, o casamento tem sido a união de um homem e uma mulher.” Assim diz a Coalização para o Casamento (Coalition for Marriage), cuja petição contra as uniões entre pessoas do mesmo sexo no Reino Unido até agora atraíram 500.000 assinaturas (1). É uma alegação conhecida, e está errada. Dezenas de sociedades, por muitos séculos, têm reconhecido o casamento entre pessoas do mesmo sexo (2,3,4). Em alguns casos, antes do século 14, ele era até celebrado na igreja.

Esse é um exemplo de um fenômeno muito difundido: a produção de mitos por conservadores culturais sobre o passado dos relacionamentos. Pouco questionados, os promotores dos valores familiares têm conseguido construir uma história que é quase inteiramente…

Reino Unido: adoção por casais homoafetivos: três anos em um!

Imagem