19ª Parada do Orgulho LGBT de Copacabana 2014 - fotos

Click HERE for English

Veja alguns flashes da 19ª Parada do Orgulho LGBT de Copacabana, 2014. Parabéns ao Grupo Arco-Íris, à CEDS-Rio, que é da Prefeitura do Rio, à Superintendência dos Direitos Humanos e Difusos do Estado do Rio de Janeiro e a todas as ONGs e Instituições Estatais e da sociedade civil que participaram, especialmente a Polícia Militar, a Guarda Municipal e o Corpo de Bombeiros. Foi uma festa linda e quando houve quem quisesse estragar, a polícia agiu rápido.



Pasmem, eu tive meu dia de pega-ladrão. Um policial estava à caça de um bandido, e ele dando olé no policial. Observei por onde ele vinha, me joguei em cima dele e segurei o suficiente para que o policial chegasse o prendesse. Um outro rapaz chegou quase junto com o policial e ajudou a segurar também. Menos um na pista. Viado não é bagunça, não. O que ele nunca imaginou foi que um homem de saia e com uma bandeira do arco-íris pudesse cair sobre ele como um meteoro. Não foi o meteoro da paixão, Luan Santana. Não dessa vez. Que pena! Era tão lindo e tão bandido, mas foi preso sem maiores danos.

A festa foi linda e o povo super aderiu! Agora, é hora de mandar a homofobia e a transfobia para a ponte que partiu! :)


Sergio Viula, Katia Viula e Flávia Lyrio chegando à concentração da arada do Orgulho LGBT de Copacabana

 
Jornalista da Globonews entrevistando as duas.



Sergio Viula em frente ao posto da CEDS-RIO, que lançará a Campanha do Laço Vermelho em breve



Com as Mães pela Igualdade, o pai de Lucas Fortuna e sua esposa no Trio Elétrico. A mãe do Lucas é falecida - foto tirada pela fotógrafa oficial do grupo.

Com as Mães pela Igualdade e o pai de Lucas Fortuna e sua esposa no Trio Elétrico. A mãe do Lucas é falecida. Foto no Trio Elétrico tirada pela fotógrafa oficial do grupo.

Detalhe: estou de saia mesmo. Protesto contra a ditadura de gênero e homenagem a Lucas Fortuna que geralmente protestava assim. A iniciativa foi das Mães pela Igualdade, cujos filhos foram trajados assim pela mesma razão.

As mulheres conquistaram a calça comprida. Agora é nossa vez de conquistarmos as saias.

Contra o preconceito, a alegria!


Carlos Tufvesson - foto do perfil da CEDS-Rio no Facebook.


Posto da CEDS-Rio. Carlos Tufvesson e sua equipe a todo o vapor.

Drag Queen Eula Rochard. Essa é a mensagem central: Você não precisa ser minoria para ser contra os preconceitos que assediam as minorias.

Georgina Martins, Mães Pela Igualdade

Concentração ainda. Carros vazios. Povo em volta.

Esse rapaz das botas pretas arrasou quarteirões.

Bárbara Aires distribuindo kit-prevenção contra DST e HIV. Presença transexual a todo vapor na CEDS-Rio.
 
Esses rapazes pediram para tirar foto comigo. Não os conheço, mas estavam na maior festa.

O glamour das drag queens dispensa comentários.
Claudio Nascimento discursando na abertura da Parada de Copacabana - foto Rio Sem Homofobia

Nesse carro falaram muitas pessoas: Carlos Tufvesson, Cláudio Nascimento, Julio Moreira, Silvetty Montilla, o Deputado Carlos Minc, Letícia Spiller e o elenco de O Casamento de Gorete, Marcelle Esteves, Alessandro Melchior, Pablo Brandão (conduzindo as apresentações), o pai de Lucas Fortuna, vítima de um crime homofóbico. Foi tocante o depoimento desse nobre homem. A Parada foi aberta com o Hino Nacional, cantado por Jani Di Castro.


Pessoas idosas e com necessidades especiais estiveram presentes e prestigiaram os discursos e a festa.

Esse menino, cujo nome não lembro agora, é um fofo e foi super solícito com esse guarda-chuva para fazer uma sombrinha para mim de vez em quando.

Paulo Próspero - Pai pela Igualdade. :)



Mirna Gonçalves - Mães pela Igualdade.

Pai de Lucas Fortuna, Mirna Gonçalves e o meninos do Põe na Roda

Ruas tomadas por gente dois lados do trio elétrico.

Selfie de Sergio Viula com os meninos do Põe na Roda: lindinhos!

Não posso ver uma freira, ainda mais com um pau na mão (literalmente).

Beijei a freira no maior amasso. Divertidíssima!


FOLHA DE SÃO PAULO:

Segundo estimativas da Polícia Militar, por volta das 17h30 cerca de um milhão de pessoas participavam da manifestação pelo respeito à diversidade sexual.

Comentários

  1. A festa LGBT foi muito boa mesmo. Infelizmente, no horário da noite, quando cheguei em casa por volta das 19:30, liguei a TV na Rede Globo e na Globo News, mas a única ênfase que deram à Parada Gay foi em torno da atuação de uma gangue de menores que foi presa por cometer alguns furtos no local. A imprensa não evidenciou a nossa luta, nem os objetivos principais da Parada Gay que este ano mais do que nunca enfatizou a necessidade da criminalização da homofobia. Infelizmente é notório que não existe um engajamento da imprensa com a questão LGBT, que é uma questão de cidadania.

    ResponderExcluir
  2. Como sempre a Globo sendo a Globo... Enfim, foi maravilhoso Sérgio <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.