The Advocate: Quantificando os efeitos da homofobia.

Pessoas LGBT e marchas contínuas no 65º Dia da República na Índia em Nova Delhi em 26 janeiro

Fonte: The Advocate
Tradução Sergio Viula
Para o Blog Fora do Armário

O aumento das leis antigays ao redor do mundo tem chamado a atenção da mídia internacional para os dramáticos – e frequentemente violentos – efeitos da homofobia. Com denúncias de assédio, prisões, e assassinatos com alvo em lésbicas, gays, transgêneros e bissexuais, as consequências diretas dessas leis têm ficado horrivelmente claras.

Enquanto os líderes mundiais, incluindo o Secretário-Geral das Nações Unidas Ban Ki-moon e o Secretário de Estado Americano John Kerry, cada vez mais condenam essas legislações, poucos têm falado sobre o assunto fora do circuito dos direitos humanos e da moral. Esse posicionamento tem levado outros líderes a defenderem suas leis antigay com base na soberania e nos valores culturais, alimentando a cultura da guerra que tem se mostrado amplamente ineficaz em convencer governos a repelirem essas leis.

Estudos acadêmicos recentes estão usando novas fontes e metodologias para pressionar argumentos morais sobre a homossexualidade e mostrar que essas formas de estigma estrutural – normais culturais antigay e leis que fazem as minorias sexuais de alvo – podem ter efeitos amplos e sistemáticos sobre a sociedade que não ficam sempre nítidos ao primeiro olhar. Esses estudos mostram que a homofobia pode atrapalhar significantemente o crescimento econômico, e pode ser até prejudicial à sua saúde.

Estatísticos e economistas se reuniram num painel do World Bank recentemente para responder essa questão. Eles enfatizaram a importância de ter dados consistentes para sustentar o argumento de que os direitos LGBT não são apenas uma questão moral, mas que o estigma estrutural pode subverter o crescimento econômico. No evento, o professor de economia e proeminente ativista M.V. Lee Badgett apresentou suas conclusões preliminaries para um estudo de caso que examinou os efeitos econômicos da homofobia na Índia. Enfocando a exclusão social LGBT – através do encarceramento, perda de emprego, assédio na escolar, ou pressão para casar – Badgett projetou que a homophobia poderia estar custando à India algo em torno de $30,8 bilhões por ano, ou 1,7 % do produto interno bruto do país, números que podem ser apenas a ponta do iceberg.

Enquanto o impacto total da homofobia sobre a economia de um país não é facilmente desenhada e as análises atuais são incompletas devido à falta de pesquisa, tentativas para preencher a lacuna de dados com estudos como os de Badgett tem que ser feitas para desvelar os custos da homofobia para a economia.

Os benefícios de derrubar leis antigay e eliminar a homophobia não estão limitados apenas à economia; podem ser também a chave para melhorar a saúde comunitária para as minorias sexuais nos Estados Unidos.

Um novo estudo publicado no Social Science and Medicine identificou uma forte relação entre locais com preconceito antigay e índices mais altos de moralidade entre minorias sexuais nos Estados Unidos. Uma coisa é certa: Leis antigay, como aquelas que proíbem casamentos entre pessoas do mesmo sexo, podem reduzir a expectativa de vida. Enquanto o estudo não detalha estudos de caso específicos ou locais, ele certamente apresenta uma metodologia para examinar preconceitos e moralidade. Examinando essa nova gama de informações, fica claro que suicídio, homicídio, e doenças cardiovasculares são substancialmente elevados entre minorias sexuais em comunidades com altos níveis de preconceito.

À medida que agências governamentais permanecem inertes por causa de argumentos morais no que diz respeito a apoiar a justice social LGBT, evidências de efeitos mais sutis das leis antigay – incluindo aqueles que destacam suas ramificações sobre a economia e a saúde – podem apelar aos ouvintes que até agora estavam fora da influência de ativistas.

Disponibilizar informações sobre os efeitos quantificáveis da homofobia permitirá que legisladores, economistas, e líderes globais entendam melhor que as leis antigay, em última análise, causam danos às pessoas LGBT e para a população de um modo geral.

Fonte: http://www.advocate.com/politics/2014/05/05/quantifying-effects-homophobia

Comentários