VOTE NA WEB - CÂMARA - CURA GAY: DIGA NÃO À PATOLOGIZAÇÃO DOS HOMOSSEXUAIS


VOTEI NÃO E DEIXEI O SEGUINTE COMENTÁRIO:

Não. Psicólogo trabalha com ciência. Ele deve acompanhar o que está cientificamente demonstrado. Todas as organizações mundiais e de vanguarda no campo da psicologia, psiquiatria e psicanálise afirmam conjuntamente que não se pode mudar a orientação sexual de uma pessoa, seja ela qual for. Um paciente querer deixar de ser gay é como um negro querer deixar de ser negro - isso não será feito por psicólogo algum e pode ser visto como uma egodistonia, resultante do preconceito que o circunda e inunda. O papel do psicólogo deve ser o de ajudar o paciente a compreender essas dinâmicas e viver como achar mais conveniente, mas não o de prometer milagres, porque se não é cientificamente viável, figura no campo do milagre. Nesse caso, que o indivíduo procure seu líder espiritual a ver se seu deus ou seus deuses farão algo diferente.

Vote NÃO, explicando ou não por quê. 

Se quiser embasamento, leia o parecer do Conselho Federal de Psicologia sobre o projeto antes de ter sido arquivado pelo próprio deputado evangélico e recolocado em pauta de novo por outro da mesma linha: http://www.foradoarmario.net/2013/06/nota-do-cfp-sobre-aprovacao-da-cura-gay.html

Comentários

  1. Cura!... quem realmente precisa de cura é quem tem preconceito e descriminação.
    Como podemos diagnosticar algo como doença...se não é algo meramente do corpo...mas é questão de alma...
    Em minha busca por respostas sobre o homossexualismo, descobri que é questão de alma. Como a Kabbalah descreve são almas trocadas, ou seja,uma alma feminina num corpo de homem, ou uma alma masculina em corpo de mulher...Não sabemos o motivo por acontecer isso, mas acredita-se que tratando-se de reencarnação, tudo tem um propósito, um objetivo, fazer alguma correção, lições que a alma veio nesta vida para aprender...todos viemos a este mundo para aprendermos a viver e isso é o que realmente importa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.