DILMA COISA EU SEI: NÃO AGUENTO MAIS QUATRO ANOS DISSO!

Dilma Rousseff: quatro anos depois, várias patacadas acumuladas

Por Sergio Viula

Ela nunca deu uma palavra sobre homofobia ou transfobia, apesar do aumento vertiginoso da violência contra LGBT registrada pelo próprio governo federal. Obama se pronunciou sobre discriminação contra LGBT. David Cameron também. O presidente do Chile se mobilizou por causa da morte de um único adolescente gay em seu país (no Brasil, foram mais de 300 pessoas ano passado). O presidente da França defendeu arduamente o casamento igualitário. Holanda, Bélgica, Dinamarca, EUA, Canadá e outros países, na pessoa de seus presidentes, ministros e embaixadores, se colocaram contra a homofobia e transfobia na Rússia, na África, inclusive com sanções, mas Dilma passou por tudo isso MUDA. Isso não tem desculpa. Quando abriu a boca foi para chamar ações afirmativas de 'propaganda de opção sexual' (sic) e dizer que o governo não faria tal propaganda, usando a mesma lógica de Putin que acha que qualquer coisa que garanta os direitos da população LGBT é propaganda sexual. E ainda tem LGBT defendendo essa omissa vendida para fundamentalistas!!! Isso só pode ser por segundo$ interesse$ ou total por falta de memória e senso crítico. Não há mais como disfarçar e dizer que é por mera ideologia.

Mas o problema não é só a homofobia (auto-homofobia???) da presidenta. O país também está estagnado, inflação alta, violência descontrolada, participação no mercado internacional retrocedendo, juros altíssimos, endividamento da população, inclusive do pequeno e médio empresário, e por aí vai. Quem diz que a gente só pensa em LGBT é, no mínimo, cínico. E por que não pensaríamos? Aliás, devíamos pensar e agir mais a respeito dos direitos humanos. Nada é mais urgente que isso. Isso é a base de tudo. E não digo nada disso movido por fidelidades ridículas a partido algum. Nulidades como a Dilma há em todos os partidos. Só sei de uma coisa: se tiver que trocar uma nulidade por outra, eu troco, porque a alternância de poder é sempre melhor do que a permanência dele por muito tempo nas mesmas mãos.

O PT teve 12 anos para fazer alguma coisa que prestasse para reduzir a influência do fundamentalismo e do conservadorismo. Em vez disso, deixou esse lixo criar chorume no Planalto e no Congresso. Até a Comissão de Direitos Humanos da Câmara foi entregue a um anti-humanista como Feliciano. Isso graças ao PT, principalmente. Tanto que depois de ver a repercussão (sempre a repercussão) que deu, pegaram de volta. Chega de hipocrisia! O Rio de Janeiro teve um governador e um prefeito que tiveram, ao menos, peito de fomentar políticas afirmativas. Nenhum dos dois é do PT. Em São Paulo, Fernando Haddad, filiado ao PT, tem feito coisas semelhantes. 

Foi o governador Sergio Cabral que protocolou junto ao STF a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que culminou no julgamento dos Ministros do Supremo a favor da união civil entre pessoas do mesmo sexo, em paridade com as que são feitas por pessoas heterossexuais. Daí veio o reconhecimento do casamento civil em cartório posteriormente, graças ao CNJ.

Então, não é uma questão partidária. É uma questão pessoal. Há pessoas realmente dispostas a fazer o que tem que ser feito e pessoas que se vendem, traem e renunciam princípios que sempre defenderam para perpetuarem seu projeto egoísta de poder. 

Dilma deixou muitas vezes seus próprios parceiros isolados sob o fogo fundamentalista e conservador da direita toda vez que estes tentaram fazer algo pela população LGBT. Foi o caso de Maria do Rosário na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência (em diversos pronunciamentos sobre a violência homofóbica e transfóbica que assola o Brasil); Fernando Haddad no Ministério de Educação (projeto Escola sem Homofobia); Alexandre Padilha no Ministério da Saúde (campanha de prevenção ao HIV entre prostitutas); e Paulo Paim (na tentativa de aprovar o PLC 122/06 – lembrem-se que a Ministra Ideli Salvatti telefonou para congressistas do PT dizendo que não aprovassem o projeto de lei – e Dilma deu uma de joão-sem-braço, nada dizendo, porque provavelmente tenha mandado), e por aí vai.

Até a UNAIDS e a UNESCO, duas agências respeitadíssimas da ONU, fizeram pronunciamentos sobre a preocupação delas frente ao avanço do fundamentalismo e do conservadorismo nos últimos anos, seja em relação à homofobia/transfobia social e institucional, seja em relação ao enfraquecimento das políticas afirmativas para esse segmento, ou ainda em relação aos retrocessos no programa de combate à AIDS no país - o que vai além de LGBT, obviamente.

Por essas e outras, não suporto a ideia de ver Dilma lá por mais quatro anos. Não sei se quem virá será melhor. Como eu disse, nulidades estão em toda parte. Mas uma coisa eu sei: não dá para eu mesmo agir igual a ela, calando-me diante de tudo isso. Já chega dessa merda de silêncio conivente com ladrões e assassinos - com ou sem colarinho branco.

Agora, cuidado com os argumentos daqueles que também não querem mais do mesmo, só que por razões ainda mais fundamentalistas e conservadoras.

Como nos alerta o ditado popular: camarão que dorme, a onda leva.


Sergio Viula

P.S.:  Votei nela, pensando principalmente que uma mulher no poder seria uma renovação. Fiquei ainda mais esperançoso quando Dilma disse no discurso de inauguração que não negociaria com os direitos humanos. Foi exatamente o que ela fez o tempo todo: trocar direitos humanos por silêncio fundamentalista. E é por ter votado nela antes --- portanto isento de qualquer sentimento anti-PT ou anti-Caralho-a-Quatro --- que eu me sinto absolutamente livre para dizer tudo isso. 

Comentários

  1. Perfeito teu texto! E devemos lembrar de algo: Felizmente, no Brasil, o voto não é distrital para infelicidade dos reacionários e dos plutocratas. Com isso, temos muitas opções de candidatos, e isso pode ser muito bem usado já que são dois turnos: No primeiro turno devemos sempre votar em quem realmente queremos, mesmo se sua votação for mínima. Já no segundo turno, só nos resta votar no menos ruim mesmo...

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto!
    Não esquecendo que o "Partido dos aTrapalhadores" também tem mantido o Brasil no atraso em T.I. 12 anos ao menos no Executivo Federal e empresas coligadas era para ter BANIDO o atraso tecnológico de softwares da "empresa" do Janelicas (comprovadamente o que há de pior), fora ser uma "empresa" BANDIDA.
    Vide fatos da nocividade em:
    http://homembit.com/2008/04/quer-entender-como-eles-trabalharam.html
    http://homembit.com/2011/09/sobre-o-ataque-da-microsoft-a-soberania-nacional-wikileaks-microsoft-odf-e-openxml.html
    http://en.windows7sins.org/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.