Uma escola transgênero islâmica foi reaberta na cidade de Yogyakarta na ilha de Java.

Pessoas transgênero oram na escola de Yogyakarta



Uma escola transgênero islâmica foi reaberta na cidade de Yogyakarta na ilha de Java.


Fonte: BBC News
Tradução: Sergio Viula

A escola, conhecida no local como Pesantren Waria, foi a primeira desse tipo no país e foi inagurada em 2008, mas foi fechada quando seu fundador morreu no mês passado. Ela agora se mudou para a casa que pertence a Shinta Ratri, uma ativista LGBT (lésbica, gay, bissexual e transgênero) .

Os 35 alunos têm estudos islâmicos e uma chance de trabalhar e ganhar dinheiro, informa o jornal The Jakarta Post. Anteriormente, a escola tinha um salão de beleza e também alugava vestidos de núpcias tradicionais..

"De acordo com o Alcorão, não podemos classificar as pessoas com base em valores econômicos, sociais, políticos, de gênero ou tradicionais", disse - durante a cerimônia de inauguração - Abdul Muhaimin, um líder da Forum da Irmandade dos Fiéis da Indonésia (Indonesia's Brotherhood Forum of the Faithful), uma organização que encoraja a tolerância religiosa. "Eu espero que os alunos aqui sejam tão fortes, uma vez que terão que enfrentar o estigma da sociedade."

O Jakarta Globe informou em outros lugares que a opinião pública na Indonésia é fortemente contrária aos direitos LGBT. Ele cita o Global Divide on Homosexuality, um estudo de 2003 feito pelo Pew Research Center, que diz que 93% perguntadas pensavam que as pessoas gays não deviam ser aceitas.


 
--------------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO



Verdadeiras e verdadeiros desbravadores esses estudantes e professores da escola voltada para pessoas transgênero. Parabéns pela coragem. São iniciativas assim que quebrarão o paradigma do estigma baseado em preconceitos infundados, irracionais e ainda não examinados à luz dos conhecimentos de que dispomos hoje em dia sobre a sexualidade humana e a fluidez de gênero.

Daqui a alguns anos, pesquisas como essa serão feitas e muito provavelmente terão resultados bem diferentes, muito mais sensatos e muito mais humanistas.

Comentários