DILMA: PLC 122 como moeda de troca para voto de cabresto nos currais eleitorais de igrejas homofóbicas


Elza Fiúza/ ABr

Ministra Ideli Salvatti orientou bancada a só votar a proposta depois das eleições


Presidente Dilma declarou ontem no Fórum Mundial de Direitos Humanos



"Nosso compromisso com o enfrentamento da violência que atinge a população LGBT é firme e inquestionável."

Sério mesmo, Dilma? Não parece...


De acordo com o Último Segundo de hoje, os senadores da bancada do governo estão sendo pressionados a não vota o projeto que criminaliza a homofobia e a transfobia (PLC 122).

De acordo com a matéria, a ministra Ideli Salvatti orientou - por telefone - a bancada governamental a só votar a proposta depois das eleições de 2014 para agradar a bancada evangélica  em troca de apoio para a reeleição de Dilma.



Comentários

  1. Essa senhora representa um partido de bandidos mensaleiros condenados e presos pela suprema corte do nosso país; bandidos esses que são homenageados e enaltecidos pelo partido dela, por serem políticos bandidos; então o que se pode esperar dessa farsa política chamada governo DilMá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Robson. Nunca vi tanta bandidagem quanto nesse governo e mentiras com a cara mais lavada.

      Excluir
  2. Acho que esse numero esta mto alto, se formos ver que e outros paises ser gay é crime e em outros tem pena de morte para gays.

    ResponderExcluir
  3. Leandro, não se engane. Nos EUA há pena de morte, mas no Brasil mata-se mais a cada ano do que todos os crimes e penas de morte aplicados lá. Além disso, esses números do GGB vêm de registros policiais e casos com cobertura jornalística. Respeite a memória de quem teve a vida arrancada por gente preconceituosa e torça para amanhã não ser você, qualquer que seja o motivo. A situação é grave para todo mundo. A diferença da homofobia e da transfobia é a motivação ainda mais mesquinha do que um latrocínio, por exemplo, e contra gente extremamente vulnerável, principalmente gente jovem e gente pobre.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.