Suprema Corte do Reino Unido decide que fé não justifica discriminação

                    Hazelmary e Peter Bull


Esta quarta-feira, dia 27/11/13, ao mesmo tempo em que militantes estão divulgando uma carta aberta ao Senado Federal do Brasil, exigindo que aquela Casa cumpra seu papel de garantir os direitos dos cidadãos LGBT, idosos e negros - só para citar alguns -  a Suprema Corte do Reino Unido deixou claro quais são alguns dos limites para a liberdade de religião. 


Os juízes decidiram que o direito de exercer a própria fé não autoriza ninguém a discriminar outras pessoas, informa Aline Pinheiro do site Consultor Jurídico. 


A polêmica e seu desfecho resultaram de um episódio em que os donos de uma pousada negaram a dois homens gays que dormissem num quarto de casal, ou seja, com cama de casal. Com isso, violaram a legislação britânica. Como  Hazelmary e Peter Bull são cristãos, tentaram se valer do direito à crença para saírem impunes depois de discriminarem o casal Steve Preddy and Martyn Hall, criando vários transtornos para os dois que chegaram à cidade contando com a reserva. Os donos da pousada tiveram a ousadia de alegar que transar fora do casamento é pecado e que, para evitar que seus hóspedes pequem, eles impedem que duas pessoas que não são casadas durmam em quartos com uma cama de casal.


Hazelmary e Peter Bull

Felizmente, a Justiça britânica cumpriu seu papel e os donos da pousada perderam em todas as instâncias. Como apelaram à Suprema Corte e perderam, não têm mais como evitar pagar indenização para Hall e Preddy. A Suprema Corte considerou que a política mantida pela pousada, um estabelecimento voltado a atender ao público, é discriminatória. A legislação britânica estabelece que as uniões civis e os casamentos têm os mesmos direitos e deveres e devem ser tratados da mesma maneira.
A Suprema Corte explicou que a liberdade religiosa, direito garantido na Convenção Europeia de Direitos Humanos, não é absoluta. Ela pode ser limitada para proteger direitos alheios.
O casamento civil e religioso entre pessoas do mesmo sexo foi autorizado no Reino Unido em julho deste ano, depois que lei sobre o assunto foi aprovada no Parlamento britânico. A norma deixou a cargo das igrejas decidirem se aceitam casar gays ou não. A previsão é de que os primeiros casamentos entre homossexuais sejam celebrados no meio do ano que vem, já que a nova lei precisa de regulamentação antes de ser posta em prática.


Uma leitura que vai inspirar seu coração. Veja AQUI.....

Comentários

  1. Este trecho deveria ser LEI aqui no Brasil, e deveria ser impresso na entrada de TODAS as igrejas fundamentalistas daqui: "(...)A Suprema Corte explicou que a liberdade religiosa, direito garantido na Convenção Europeia de Direitos Humanos, não é absoluta. Ela pode ser limitada para proteger direitos alheios.(...)"

    ResponderExcluir
  2. Como me orgulho da minha descendência inglesa, cada vez me convenço que sou mais inglês que brasileiro. Muita vergonha deste país, amo meus parentes brasileiros e não os troco por nada mas, eu prefiro ser inglês.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.