Jean Wyllys: "não vou jogar mais holofotes sobre o vendilhão nem sobre a comissão que ele preside".




Jean Wyllys
Dia 20 de novembro de 2013


Hoje boa parte da imprensa e muitos ativistas em rede caíram novamente na habitual armadilha do atual presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Em relação à boa parte da imprensa, não há espanto, já que ela vive de "notícias" (embora algum critério jornalístico deveria existir para distinguir fatos relevantes de factóides); mas, em relação aos muitos ativistas, espanta-me como eles não aprendem com experiências passadas!


No dia da Consciência Negra, o presidente da CDHM não fez qualquer menção à data e aprovou em meia hora (meia hora!) três projetos que atentam contra a dignidade e os direitos de LGBTs.


Ora, é óbvio que a intenção é ganhar espaço na imprensa e atrair a atenção nas redes sociais. Inoperante, incompetente e improdutivo (e confrontado pela atuação excelente da nossa Frente Parlamentar dos DHs), o presidente só pode mesmo apelar para o teatro dos vampiros. Já sabemos disso; por isso, não lhe damos bola aqui.


Recusei-me a falar com a imprensa sobre a aprovação porque não vou jogar mais holofotes sobre o vendilhão nem sobre a comissão que ele preside, hoje deslegitimada e desrespeitada aqui dentro e fora.


A notícia da aprovação dos três projetos deveria, em vez de provocar histeria, virar alvo de deboche. O deboche põe ele e a comissão no lugar onde estão: de ridículos fundamentalistas! A aprovação de projetos nessa comissão não significa que os projetos já entrarão em vigor a partir de amanhã (a histeria nas redes parte dessa ideia equivocada!).


Os tais projetos irão para outras duas comissões antes se ir a plenário. Jamais serão aprovados nessas outras duas comissões!


A tal CDHM hoje é uma igreja de fundamentalistas. Nada que venha de lá deve ser levado a sério.

Comentários