Jón Gnarr - prefeito de Reykjavik - em declaração exclusiva para o Fora do Armário


Na quinta-feira, dia 08/08/13, o Blog Fora do Armário entrou em contato com o prefeito de Reykjavik, Jón Gnarr. O objetivo era solicitar mais informações sobre o rompimento do tratado de irmandade entre a capital da Islândia e Moscou, conforme proposto por ele.

Informei que as declarações seriam publicadas no Fora do Armário.

Nesta sexta, 09/08/13, Jón Gnarr, enviou-me a seguinte resposta de próprio punho:

Jón Gnarr, prefeito de Reykjavik, fala ao blog Fora do Armário (Veja abaixo)

Oi, Sergio.

Espero que essa mensagem responda sua pergunta:

Por muitas décadas, Reykjavik e Moscou mantiveram um relacionamento de cidades-irmãs. 

Em 2007, a Cidade de Reykjavik e Moscou assinaram um acordo de cooperação que cobre projetos os mais diversos, incluindo colaboração a respeito de adolescentes e assuntos familiares. Porém, devido a mudanças recentes em Moscou, inclunido violações dos direitos humanos - especialmente em relação às pessoas LGBT - acredito que precisemos rever essa cooperação em colaboração com "Samtökin 78" (A Organização Queer da Islândia) e o Ministério de Assuntos Exteriores.

A proposta ao City Council (N.T.: semelhante à Câmara dos Vereadores no Brasil) sugere que o acordo de cooperação seja revisado ou encerrado. 

Qual é o propósito dessa proposta?

A proposta trata de respeito aos direitos humanos.

A Cidade de Reykjavik não apoia projetos que não atendam às exigências da política de Direitos Humanos de Reykjavik. Então, por que não faríamos as mesmas exigências com relação a parceiros estrangeiros? Não podemos apenas falar sobre direitos humanos - há que haver ação - e é disso que trata a proposta. Esperamos, é claro, que outros sigam nossas pegadas.

Quais são os próximos passos?

A proposta foi submetida ao City Council, mas ainda não foi processada. Todavia, já tem sido debatida, discutida, na mídia. E isso é um bom começo.

Sabemos que a maioria do City Council apoia a proposta, mas o ideal - e o que desejamos - é que ela seja aceita por todos os membros do City Council.

A proposta está prevista para ser discutida numa reunião do City Council em meados de agosto.

Se a proposta for aprovada, revisaremos o contrato em cooperação com "Samtökin 78" (a Organização Queer da Islândia) e o Ministério das Relações Exteriores e - assim esperamos - encerra-la.

Não sabemos qual será o resultado, mas minha vontade está clara. :)

Jón Gnarr - Prefeito de Reykjavik - falando ao Blog Fora do Armário em declaração concedida a Sergio Viula em 09/08/13.

Comentários