Estudante é violentamente espancado sob argumento de que gay tem que morrer

 

CONFIRA AS ATIVIDADES DO

  DIA INTERNACIONAL DE COMBATE À HOMOFOBIA

PARTICIPE DAS ATIVIDADES DE SUA CIDADE.


Estudante é violentamente espancado sob argumento de que gay tem que morrer

Ele teve o nariz quebrado e ficou com várias escoriações pelo corpo e pela cabeça

11/05/2013 21:00 - Henrique Ferreira, do FolhaPE
·     


Mais um caso de homofobia foi registrado na madrugada deste sábado (11). Desta vez, o estudante de design de moda, Leonardo Barros, de 26 anos, foi espancado por um homem, que ainda não foi identificado, quando seguia da faculdade para sua casa, no bairro do UR-02. Ele teve o nariz quebrado e ficou com várias escoriações pelo corpo e pela cabeça. O rapaz precisou ser internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Lagoa Encantada, onde passou por exames e recebeu alta nesta tarde. Devido à fratura, Leonardo terá que ser submetido a uma cirurgia.

De acordo com o jovem, tudo começou após um homem descer de um mototáxi e puxar assunto. Assustado, o estudante começou a andar mais rápido. Foi quando o suspeito gritou que homossexual tinha que morrer e começou a desferir socos e ponta pés. “No começo, ele foi simpático, puxou papo, mas depois começou a ficar agressivo então decidi tentar me distanciar. Nesse momento ele puxou meu cabelo, me jogou no chão e me agrediu violentamente. Tentei correr, mas ele me alcançou e tornou a me bater. Quando cai pela segunda, vez percebi que estava ao lado de uma poça de lama onde, ao redor, tinha areia. Peguei essa areia e joguei no seu olho. Consegui me levantar, corri e cheguei em uma praça, onde havia algumas senhoras jogando bingo. Elas prontamente me levaram para uma casa, lavaram meu rosto e me deram água. Se elas não tivessem me acolhido, com certeza ele iria me bater até tirar minha vida”, disse muito emocionado.

O jovem também informou que realizou um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Boa Viagem e passou por exames no Instituto Médico Legal. Na segunda-feira (13), deverá ser elaborado um retrato-falado para identificar o suspeito. O caso será investigado pela DP do Ibura. “Quero é que ele seja pego e preso. Peço Justiça!”, disse a vítima em um misto de revolta e angústia.

Comentários