Chile anula lei que proibia homossexuais de realizar doação de sangue

Fonte da ilustração ADR Resources

 

Chile anula lei que proibia homossexuais de realizar doação de sangue

"A seleção de doadores deve se basear em critérios estritamente técnicos e de segurança", aponta a nova norma

Por: Agência Brasil
 
BRASÍLIA

O Chile anulou na última quarta-feira (24) a lei que colocava a orientação sexual como um critério para doação de sangue. A edição da nova Norma Técnica Geral foi um trabalho conjunto do Ministério da Saúde e do Movimento de Integração e Liberação Homossexual.

“A seleção de doadores deve se basear em critérios estritamente técnicos e de segurança, tanto para os doadores quanto para os potencialmente receptores, sem condições de discriminação arbitrária como orientação sexual, política, religião ou de qualquer outra índole nesse sentido”, aponta nova norma.

O documento traz um adendo de que, independente da orientação, qualquer pessoa que tenha comportamento sexual que traga riscos de infecção por transmissão sanguínea devem ser excluídas do processo de doação.

Os movimentos sociais chilenos contra a discriminação sexual elogiaram a medida e justificaram que a nova regra é mais adequada à Lei Zamudio, publicada em 24 de julho de 2012 e que estabelecia medidas contra a homofobia. A Lei Zamudio leva esse nome em homagem a Daniel Zamudio, jovem assassinado em 2012 por causa de sua orientação sexual

Comentários