Dia da Mulher



Para homenagear as mulheres em seu dia, um poema com erótica heterossexual e outro com erótica lésbica. Um escrito por um poeta renomado, o outro por uma poeta ainda por ser reconhecida - o que pouco importa para quem sabe que poesia boa é aquela que conjuga inspiração e técnica sem deixar de ter um quê de espontaneidade que dê a suas letras um tom de autenticidade que nos permita ver na obra algo de seu autor ou autora. 

Ah, e um dos meus preferidos, que foi reproduzido aqui ano passado, "Filó a Fadinha Lésbica", ainda pode ser encontrado aqui. 

Então, a todas as mulheres, quaisquer que sejam as características acidentais* que adornem o essencial nelas, que é o ser mulher, todo o carinho e respeito do Blog Fora do Armário. Recebam um uma abraço especial nesse dia 08 de março de 2013.

*cor da pele, orientação sexual, classe social, estado civil, profissão, religião ou não-religião, nível de escolaridade, nacionalidade, com ou sem filhos, idade, etc.

Um poema de Carlos Drumond de Andrade que fala aos homens sobre a mulheres:

MULHER

Para entender uma mulher
é preciso mais que deitar-se com ela…
Há de se ter mais sonhos e cartas na mesa
que se possa prever nossa vã pretensão…

Para possuir uma mulher
é preciso mais do que fazê-la sentir-se em êxtase
numa cama, em uma seda, com toda viril possibilidade… Há de se conseguir
fazê-la sorrir antes do próximo encontro

Para conhecer uma mulher, mais que em seu orgasmo, tem de ser mais que
amante perfeito…
Há de se ter o jeito certo ao sair, e
fazer da saudade e das lembranças, todo sorriso…

- O potente, o amante, o homem viril, são homens bons… bons homens de
abraços e passos firmes…
bons homens pra se contar histórias… Há, porém, o homem certo, de todo
instante: O de depois!

Para conquistar uma mulher,
mais que ser este amante, há de se querer o amanhã,
e depois do amor um silêncio de cumplicidade…
e mostrar que o que se quis é menor do que o que não se deve perder.

É esperar amanhecer, e nem lembrar do relógio ou café… Há que ser mulher,
por um triz e, então, ser feliz!

Para amar uma mulher, mais que entendê-la,
mais que conhecê-la, mais que possuí-la,
é preciso honrar a obra de Deus, e merecer um sorriso escondido, e também
ser possuído e, ainda assim, também ser viril…

Para amar uma mulher, mais que tentar conquistá-la,
há de ser conquistado… todo tomado e, com um pouco de sorte, também ser
amado!”

Carlos Drumond de Andrade




Um poema de Marina Mara que fala do amor de uma mulher por outra:



Maria e suas Mulheres

Mulher é meio bruxa, é meio bicho, é meio mar

Tem ondas, tem sexto sentido e sangra sem se cortar

Mulher é meio bicha, meio arisca se a lua mandar

É por isso que não há nada mais intenso e sutil

Que duas Marias a se beijar.

Duas Marias – duas belezas. Duas guerreiras

Lutando pelos direitos que delas tiraram,

Como castigo, pelo crime de se amar.

Onde está escrito que esse amor não é lindo

Ou não tão lindo quanto o seu?

Não se é diferente só por amar o seu igual.

Ao final do arco-íris há um pote de respeito

Um pote de um mundo que menstrua mel

Onde Marias, Joanas e Cássias

Possam ser tão femininas

A ponto de reinventar sua

Feminilidade com notas musicais também

Soprando arrepios nos cangotes das meninas

E uma sinfonia no daquela

Que atende por meu bem.



Marina Mara

Comentários