Estudantes enfrentam pregadores de ódio da Igreja Batista de Westboro com 40.000 dólares para Caridade Gay

Estudantes enfrentam pregadores de ódio da Igreja Batista de Westboro com 40.000 dólares para Caridade Gay

Vassar College - NY



O Gay Star News informa que estudantes do Vassar College em Nova York se comprometeram a doar 100 dólares por cada minuto de protesto da Igreja Batista de Westboro no campus.



Membros da igreja planejaram protestar no campus da universidade, que é pró-LGBT no começo desse mês (fevereiro/13), o que provocou a contra-medida dos estudantes.



Todo o dinheiro levantado será doado para o Trevor Project, que provê prevenção contra o suicídio e intervenção em crise para jovens LGBT.


FUNDADOR DO THE TREVOR PROJECT DIZ COMO COMEÇOU O PROJETO E A QUE SE PROPÕE. ESTÁ EM INGLÊS.

--------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Excelente iniciativa dos estudantes - combater o ódio dos homofóbicos com amor, destinando recursos à caridade para com jovens gays em vulnerabilidade social e emocional. Que surjam novas iniciativas como essa por parte da população LGBT e simpatizante. Certamente, um ato como esse vale mais do que milhões de palavras ditas contra essa gente que simplesmente adora a polêmica. Falemos, sim. Porém, ajamos concretamente. Humanismo não faz mal a ninguém, já o fanatismo é uma erva-daninha para a existência humana e a paz social.

Para aqueles que desejam entender melhor o dano fundamentalista homofóbico ou para aqueles que sofrem por causa do que ouviram nesses ambientes e da parte dessas pessoas, recomendo: http://migre.me/dmKaR

*
*
*

Comentários

  1. Que ação maravilhosa! E uma lição de como deixar o opositor completamente sem ação! Adorei, principalmente porque mostram que tem amor no coração. Perfeito!

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Celso! Eu fiquei orgulhoso desses estudantes.

    Abração, querido.
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.