Resumo da Ópera: Fomos ao Glauce Rocha hoje

Pedro (Petra) - um dos papéis que Fábio Caio interpreta

Veja também essa dica de leiturahttp://migre.me/cHYzi

Marcondes  Lima - diretor do espetáculo Ópera

Fábio Caio - ator que faz vários personagens no espetáculo Ópera

Jakellyne Ushoa - trans que se apresenta dublando no espetáculo Ópera


Emanuel e eu - admiradores do trabalho da Cia. Coletivo Angu de Teatro

Fachada do teatro Glauce Rocha bem antes do início da peça

 Próximo do horário de entrar, já se via que ia lotar



Apesar de Emanuel ter arrancado um ciso hoje, fomos assistir Ópera, da Cia. Coletivo Angu de Teatro no Glauce Rocha, em cartaz até dia 20 de janeiro (sempre de quinta a domingo, 19h). Valeu a pena! O espetáculo foi chocante, engraçado, dramático em alguns momentos e surpreende. É para maiores de 18 anos, portanto vá preparado(a) para fortes emoções. ;)



Inicialmente, a Cia. Coletivo Angu de Teatro divulgou que o espetáculo seria inaugurado no dia 04, mas depois enviaram uma nota informando que haveria uma pré-estreia no dia 03/01/13 (hoje). Não perdi tempo e fui hoje mesmo. Recomendo muito. 



A inteira é 20 reais. Quem tiver direito, pode comprar meia. O espetáculo, porém, vale muito mais do que custa: Cerca de uma hora e meia divididas em quatro atos: radionovela, fotonovela, telenovela e ópera - tudo com temática homoerótica.

Ópera
Teatro Glauce Rocha
Av. Rio Branco, 179 – CentroTel.: (21) 2220-0259Quinta a domingo, às 19h
Espetáculo não recomendado para menores de 18 anos
Em cartaz até 20 de janeiro
Pré-estreia dia 3 de janeiro



LEIA TAMBÉM ESSE POST SOBRE A CIA. COLETIVO ANGU DE TEATRO: 

Comentários

  1. Sérgio, muito grato por sua força. Ficamos imensamente feliz com sua presença. Confesso que estava apreensivo, afinal Ópera não é um espetáculo fácil, os que não gostam... ODEIAM! Fico feliz que você não ficou na segunda opinião.
    Hoje foi um dos espetáculos mais difíceis, trabalhamos o dia todo e ainda tivemos alguns atropelos técnicos, que provocaram um atraso de quase meia hora, ao final a mágica do teatro aconteceu. Esquecemos o cansaço, o nervosismo e demos conta do recado. Deixo aqui registrado meu especial agradecimento a Jakellyne Ushoa que topou (e arrasou!) entrar nesta fogueira, e a Carlos Ferreira que com poucos ensaios fez um excelente trabalho como o cantor de ópera, substituindo André Brasileiro. Aguardamos vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Fábio, que vc viu o post. As pessoas precisam ser mais libertárias. O Angu quer transbordar - ultrapassar as bordas. E faz bem. Afinal, para quem quiser infantis como "A Bela Adormecida," "O Rei Leão," sempre tem a Disney ou alguma produção brasileira inspirada nela. Teatro sem o verniz da burguesia é Ópera, Angu de Sangue. Não vi Febre, mas imagino que seja na mesma linha. Continuem libertários!

      Beijo,
      Sergio Viula

      Excluir
  2. Serginho, (nossa já estou íntimo!), dá uma corrigida no nome do diretor é Marcondes Lima, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrido, amigão. Pode corrigir sempre que identificar alguma coisa errada. Isso só aprimora a qualidade do blog. Obrigado, Fabinho. hehehehe É para ser íntimo mesmo. :) Beijo, querido.

      Excluir
    2. Olha o público melhora a cada dia, e o espetáculo também! Agradeço mais uma vez e sempre a força recebida. Bejão

      Excluir
    3. Que joia, Fábio Caio! Continuo recomendando a peça. Emanuel pediu para mandar um abração.

      Beijão, querido.
      Sergio Viula

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.