Um vídeo para comemorar o Dia de Sair do Armário, Dia da Criança, Dia do Professor

Homenagem do Blog Fora do Armário
ao Dia de Sair do Armário,
ao Dia da Criança,
e ao Dia do Professor


Graeme Taylor brilha e encanta no Ellen DeGeneres Show

O mês de outubro é recheado de festividades no país e lá fora também. Esse é o mês da História LGBT, e do Dia de Sair do Armário (11/10), e do Dia da Criança (12/10) e do Dia do Professor (15/10), esses dois últimos no Brasil. 

Em comemoração a essas três datas tão especiais, o Blog Fora do Armário apresenta uma entrevista brilhante, concedida por um garoto que deu uma aula de civilidade diante da diretoria de sua escola e, em seguida, diante do auditório e câmeras do Ellen DeGeneres Show. Fiquei emocionado diversas vezes enquanto traduzia e legendava o vídeo. Vale muito a pena assistir e compartilhar.

Ficam aqui meus votos:

CRIANÇAS, inspirem-se.

ADULTOS, aprendam com esse menino.

LGBT AINDA NO ARMÁRIO, sai desse armário, porque isso não te pertence mais. ;)

PROFESSORES, trabalhem pela civilidade, pelo respeito e celebração às diferenças. Não admitam homofobia (e outros preconceitos) sob qualquer forma.

PAIS, respeitem e orgulhem-se de seus filhos, sejam eles gays, lésbicas, bissexuais, transexuais ou heterossexuais.

LEGISLADORES, GOVERNANTES E JUÍZES, trabalhem pelo esclarecimento, secularismo e humanismo em suas esferas de atuação, porque num Estado laico e humanista todos vivem mais e melhor. 

VEJAM A PERSONALIDADE E O CARÁTER DESSE GAROTO E CRESÇAM COMO PESSOAS. :)


video


VEJA ESSA DICA TAMBÉM. 
PODE SER UMA EXPERIÊNCIA SURPREENDENTE!

Se preferir assistir no Youtube, acesse abaixo:


Comentários

  1. Viula, obrigado por divulgar e pelas legendas. Parabéns! Video maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw, Marcio. Obrigado pelo carinho.

      Grande abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.