RESPOSTA DO REV. MARCIO RETAMERO (ao Marcos Feliciano)


RESPOSTA DO REV. MARCIO RETAMERO




Recentemente o Rev. Marcio Retamero, colunista no blog Mundo Da Anja e em vários outros, vem sendo vítima de perseguição por conta da manipulação e edição grosseira de um vídeo do seminário em que o Rev. Marcio participou na câmara dos deputados junto com outras lideranças LGBT e o deputado Jean Wyllys. E esta perseguição, como não poderia deixar de ser, chegou também aqui no blog (postarei abaixo alguns dos cometários (em forma de print)que eu, como autora e adm do blog, venho recebendo, num ataque a mim e ao Rev. Marcio).

RESPOSTA DO REVERENDO MARCIO RETAMERO ao pastor (fundamentalista) e deputado Marco (in)Feliciano


Mesmo com a tentativa do deputado Pastor Marcos Feliciano e com o linchamento moral que tenho passado nos últimos dias (são muitos os e-mails cheios de ódio dos "cristãos" fundamentalistas) - eu sei que minha quarta-feira será maravilhosa aqui em BH, com minhas amigas e ovelhas queridas Dircilene Vas e Vivian Kelly! Não estou abatido, tampouco triste ou temeroso, pois quem anda na LUZ e diz a Verdade que está instalada em seu coração, nada tem a temer. O que pode me fazer o homem? Não temo os homens, nem lhes devo obediência. Temo ao Senhor e a Ele obedeço. Sou um Profeta e nada mais "comum" para um profeta do que passar por perseguição, basta ler as Escrituras.


Jamais chamei o "Povo Evangélico" de desgraçado! Aliás, a palavra "desgraçado" significa "fora da Graça", "caído da Graça", como Paulo escreveu aos Gálatas. Chamo, sim, os líderes religiosos fundamentalistas de desgraçados, pois há muito caíram da Graça, mercadejam o Evangelho, usam o Evangelho para as suas megalomanias e más intenções de riqueza e poder político e não retiro o que disse: líderes fundamentalistas religiosos são uns desgraçados; caíram da Graça, vivem sob a Lei; querem transformar um Brasil numa República Teocrática como já temos uma República Fundamentalista Islâmica. Usam o Santo Nome para consolidar seu projeto de poder político e usam o dinheiro do povo de Deus para o enriquecimento deles, tosquiando as ovelhas do Senhor. São sim, uns DESGRAÇADOS!


Jamais fui contra a "família" conforme o deputado Pastor Marcos Feliciano quer que entendam meu discurso: nasci numa família, fui criado numa família cristã e guardo até hoje os valores dessa família; contudo ao longo do tempo aprendi que a "família heteronormativa" não é e nunca foi o ÚNICO MODELO DE FAMÍLIA. Existem outros tipos de família, inclusive a Família Homoparental. Defendo sim, TODAS AS FAMÍLIAS, quem quebra, quem parte famílias ao meio com a pregação eivada de más intenções e equívocos são pastores como Marcos Feliciano e sua laia. Eu trabalho para converter corações de pais aos filhos e destes com seus pais, famílias quebradas pela homofobia espalhada pela religião fundamentalista que mata!


O deputado da chapinha e das lentes de contato, como escreveu Jean Wyllys, quer fazer de mim um terrorista gay contra os religiosos, os cristãos do Brasil, tirando minha frase do contexto do meu discurso. A frase inteira que falei foi: "Estou disposto a pegar em armas SE FOR INSTALADA NO BRASIL UMA TEOCRACIA. Defenderei e lutarei pelo Estado Laico e pela democracia! Uma mulher no passado (e outros companheiros dela) pegou em armas contra a ditadura militar no Brasil, em defesa da democracia e do Estado de Direito. Seu nome é Dilma Rousseff e hoje ela é Presidenta do Brasil.


A única arma que tenho usado até o presente momento é a Espada do Espírito, ou seja, a Palavra de Deus (Jesus Cristo, pois a Palavra de Deus não é um LIVRO!). Minha arma são minhas palavras a partir de Jesus Cristo que jamais compactuou com os religiosos fundamentalistas e hipócritas, antes, os xingava de sepulcros caiados, raça de víbora, guias cegos, dentre outras coisinhas....


Outra arma que tenho usado: a Teologia Inclusiva, a leitura não fundamentalista da Bíblia, mas a que lê a Bíblia pelo método histórico-crítico para desconstruir as falácias e mentiras desses ladrões que roubam em nome de Deus e espalham, usando a Bíblia como arma, a homofobia religiosa.


Outra arma que tenho usado é o conhecimento. Escrevo livros para democratizar o conhecimento e exorcizar as trevas da ignorância que os líderes do fundamentalismo religioso espalham.


Outra arma que uso é o Amor: visito doentes em seus leitos de morte, consolo famílias enlutadas e famílias que sofrem com as doenças que se abatem sobre seus membros, aconselho pais e mães de pessoas homossexuais e seus filhos e filhas, consolo pelo amor de Jesus os corações do povo LGBT feridos pela Religião Fundamentalista. Tudo isso e para tudo isso, uso a arma do Amor, a mais poderosa que existe.


Hitler subiu ao poder na Alemanha na primeira metade do século XX pelas urnas, democraticamente e fez o que fez. Os fundamentalistas religiosos fazem mau uso da democracia para consolidar seu projeto de poder político, que é fazer do Brasil uma República Fundamentalista Cristã. Neste dias sofrerão o povo LGBT, as mulheres, os negros e o povo de santo, além do povo de outras religiões, inclusive ateus e agnósticos. Não ficarei e creio que não estarei só, vendo trens levando todo este povo para campos de concentração ou calados pela mordaça fundamentalista, tendo seus direitos cassados. Não estarei só, homens e mulheres de boa vontade estarão comigo lutando contra a teocracia, o obscurantismo e a "ditadura democrática" que eles imporão ao Brasil.


Veja neste link o que o pastor diz: Pastor Marco Feliciano divulga vídeo onde ativista gay diz “estou disposto a pegar em armas


Fiz um print dos comentários que venho recebendo como demonstração do "amor" nada preconceituoso dos cristãos.










-----------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Ouça as falas dos oradores do 9º Seminário LGBT da Câmara dos Deputados,  OUÇA AQUI

Comentários

  1. Querido, grata por replicar o texto, fiz pequenas correções e caso queria atualizar, agradeço.

    Bjux

    Anja

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.