Quer casar? Vai para a Bahia! ;)




Colegas,

A recente aprovação do casamento homoafetivo pela Corregedoria da Justiça da Bahia é crucial vitória, resultado de décadas de luta do GGB visando o direito ao casamento, seja produzindo textos sobre o tema, seja realizando açoes concretas e participando de eventos destinados a este fim.Vou arrolar, de memória, estes principais atos pra mostrar o quão imptte e sucessfull foi esse nosso ativismo.

1. Nos anos 80 o GGB realizou em Salvador o primeiro casamento coletivo lesbigay do Brasil: na sede do sindicado do Banco do Brasil, na av.7, Marcel o e Mott e mais um casal de gays e um casal de lésbicas se casaram, tendo como oficiante o Pastor Onaldo Pereira, de Rio Verde, GO, salão lotado, gente sem poder entrar, com presença do Presidente da Assoc.dos prof.da UFBa e da Diretor da FAc.Filosofia da UFBa entre outros Vips. O presidente do sindicato então se tornou depois deputa federal, grande aliado!

2. Nos anos 90, Mott falou na Camara dos deputados em Brasilia na comissão de debate sobre contrato de união civil entre pessoas do mesmo sexo. Nesta mesma época o GGB publicou dois livretos O CASAMENTO HOMOSSEXUAL NO MUNDO e OPINIÃO DE PADRES E PASTORES SOBRE CASAMENTO HOMOSSEXUAL, com ampla divulgação, demonstrando o state of arts sobre o tema, além do artigo PORQUE SOU A FAVOR DO CASAMENTO HOMOSSEXUAL, pubicado no jornal Nos Por exemplo. Ainda nesta década, a Assoc.dos Profs. Da UFBA reconhece Marcelo Cerqueira a condição de companheiro de mott, beneficiando-se do mesmo plano de saúde. Varias tentativas de Mott para incluir marcelo na condição de união de fato, reconhecida aos funcionários heterossexuais da UFBa, foram recusadas pela assessoria jurídica e motivo de escárnio pelo jornalista homofobico Berbert da Tarde.

3. Nos inícios de 2000, o GGB criou o LIVRO DE REGISTRO DE UNIÃO ESTÁVEL ENTRE HOMOSSEXUAIS, iniciativa reconhecida pelo INSS como prova valida para documentar processo de pedido de aposentadoria, pensão, etc. Esse livro de UNIÃO ESTAVEL foi disponibilizado por dezenas de grupos lgbt pelo Brasil a fora, realizando celebrações de uniões de gays e lésbicas, com vários casos de viúvos e viúvas que passaram a receber pensão do INSS.

4. Janeiro de 2012, o GGB envia representação a Corregedoria da Justiça da Bahia requerendo o reconhecimento e registro do casamento homoafetivo nos mesmos moldes já reconhecido pela Justiça de Alagoas. O Corregedor em fim de exercício transferiu ao substituto a decisão. O GGB manda o mesmo oficio ao novo corregedor em abril PP. Entrementes, telefonei mais de dez vezes ao Forum cobrando com o chefe de gabinete a resolução da demanda. Entrei em contacto com a Dra. Maria Berenice, que se dispôs a dialogar com o Corregedor em nosso favor.

noticias.terra.com.br › Brasil

2 dias atrás – Bahia legaliza o casamento gay no Estado a partir de novembro ... pela desembargadora Ivete Caldas, corregedora- geral da Justiça, e pelo ...

Portanto, temos a felicidade de incluir agora o CASAMENTO HOMOAFETIVO NA BAHIA entre as muitas e maravilhosas conquistas do GGB para a cidadania homossexual nestes 32 anos de militância, esperando que a mesma iniciativa seja concretizada em todos os demais estados da federação.

Parabens ao GGB e a seus coordenadores e ativistas por mais esta vital vitoria pela cidadania lgbt. Planejemos, juntamente com o Forum Baiano LGBT a realização de um grande casamento coletivo para demonstrar a sociedade baiana e brasileira que a história está do nosso lado!


 Luiz Mott

Comentários