Veja a estrutura das comemorações do Orgulho LGBT em Anápolis - GO

Nota Oficial da REDELGBT-GO sobre a 7a. Parada LGBT de Anápolis/GO


NOTA OFICIAL DA REDELGBT-GO
Rede de Organizações LGBT do Interior do Estado de Goiás

Estado de Goiás, 08 de agosto de 2012.


Rede de Organizações LGBT do Interior do Estado de Goiás(REDELGBT-GO), uma organização não-governamental (ONG) fundada em 22 de novembro de 2011, na cidade de Anápolis (GO), contando atualmente com o apoio fundamental da maior rede/organização LGBT da América Latina, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), hoje, com 257 organizações-membro, VEM PUBLICAMENTE CUMPRIMENTAR a Organização Não-Governamental (ONG)ASSOCIAÇÃO DE GAYS, TRANSGÊNEROS E LÉSBICAS DE ANÁPOLIS/GO E REGIÃO(AGTLA), na pessoa do seu presidente, CÍCERO DINIZ VASCON CELOS, pela pujança, coragem e determinação em, novamente, promover uma Parada do Orgulho LGBT na cidade de Anápolis/GO.


REDELGBT-GO entende que as Paradas LGBT (popularmente conhecidas, aqui no Brasil, como “Paradas Gays”), devem existir para promover a visibilidade massiva das pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), em todos os 27 Estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal, com o objetivo de conscientizar a sociedade brasileira sobre o poder de arregimentação do segmento populacional LGBT enquanto cidadãos e massa potencial  de eleitores e consumidores.


A Parada LGBT, além de divertir, também deve servir para reforçar  a autoestima individual dos LGBT que dela participam, enquanto homossexuais que devem ter seus direitos humanos e sua cidadania plenamente respeitados pelo Estado Brasileiro, pelos Governos Estaduais, enfim, pela sociedade como um todo.


REDELGBT-GO também entende que a Parada LGBT (ou Parada da Diversidade, ou Parada do Orgulho Gay ou Parada do Orgulho LGBT, seja lá como for chamar) deve funcionar como um agente estimulador para que cada vez mais pessoas aceitem e assumam suas verdadeiras orientações sexuais e/ou identidades de gênero, ou seja, a Parada LGBT deve estimular enrustidos a “saírem do armário”, como se diz na gíria homossexual.


Também é objetivo da Parada LGBT conscientizar a sociedade sobre a existência natural da diversidade sexual na dinâmica natural da Vida. Também dar maior visibilidade à comunidade homossexual e estimular o respeito à livre orientação sexual e/ou identidade de gênero.


A Parada LGBT também deve servir como um espaço solidário entre pessoas LGBT e simpatizantes, também entre a comunidade LGBT e outros segmentos organizados representantes das minorias sociais, também entidades de classe e representantes de diferentes setores dos Poderes Constituídos (Legislativo, Executivo e Judiciário), em todas as esferas públicas (municipal, estadual e nacional). Nesse sentido, a Parada LGBT deve funcionar como um evento causador de maior visibilidade de LGBT, incentivando este segmento populacional a participar de pleitos eleitorais, vindo a ocupar cada vez mais cargos públicos, seja no Legislativo ou no Executivo, nas três esferas destes poderes políticos. Tais candidaturas deverão ter a o apoio, o respaldo de grupos LGBT locais comprometidos com suas bandeiras de luta.


Por fim, a REDELGBT-GO entende como também funções primordiais de uma Parada LGBT a arregimentação de novos militantes para que se associem aos diversos grupos do movimento homossexual organizado e denunciem à população – aos órgãos da imprensa e mídias em geral, bem como aos autoridades da segurança pública e do Judiciário competentes – todos os tipos de manifestações e/ou ações homofóbicas que possam existir contra cidadãs e cidadãos LGBT. Neste caso, é fundamental que a Parada LGBT possa repassar ao público participante informações sobre autodefesa contra discriminações e a violência homofóbica, bem como informações sobre a prática do sexo seguro com o objetivo de se proteger do HIV/Aids, dentre outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).


E é na certeza absoluta de que todos estes objetivos serão concretizados pela nossa querida organização-afiliada, a ASSOCIAÇÃO DE GAYS, TRANSGÊNEROS E LÉSBICAS DE ANÁPOLIS/GO E REGIÃO(AGTLA), administrada com competência, seriedade, dignidade, lisura e transparência, pelo nosso companheiro CÍCERO DINIZ VASCONCELOS, companheiro de lutas, idealizador e vice-presidente da nossa Rede, que a REDELGBT-GOtem a honra de ser grande parceira e incentivadora e participa ativamente deste projeto grandioso e fundamental em prol dos direitos humanos, da cidadania e do respeito à dignidade de centenas e centenas de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transex uais da nossa querida e promissora cidade de Anápolis e região.


Por ocasião de uma extensa agenda de compromissos na cidade de São Paulo, onde estarei também participando como presidente da REDELGBT-GO do “I Seminário de Eventos Adversos e Medicamentos em HIV/Aids e Hepatites Virais” (23 a 27/08); “IX Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e Aids; II Congresso Brasileiro de Prevenção das Hepatites Virais; VI Fórum Latino-Americano e do Caribe em HIV/Aids e DST; e V Fórum Latino-Americano e do Caribe em HIV/Aids e DST.” (28 a 31/08), período este em que também terei encontros com os presidentes da ABGLT, Dr. Toni Reis; da ArtGay, Léo Mendes; da organização internacional REDLACVO+, o venezuelano Oscar Enrique Duque Rojas; e com a presidente da Associação Brasileira de Pais e Mães de Homossexuais/Grupo de Pais e Mães de Homossexuais (GPH), Dra. Edith Modesto. T ambém participarei da Oficina de Planejamento da REDLACVO+ e, no dia 2/09, estarei participando de uma “Roda de Bate-Papo” sobre Bissexualidade, com adolescentes e jovens do “Projeto Purpurina”, na sede do GPH, em São Paulo/SP.


Por todos estes compromissos mencionados, não poderei estar presente, participando fisicamente (“in loco”) da 7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis, mas estarei participando virtualmente e torcendo para que o evento transcorra sem contratempos e seja um grandioso sucesso, como certamente o será.


Aos companheiros da AGTLA, o meu abraço carinhoso, o meu sincero desejo de sucesso e meus cumprimentos pela coragem, pela ousadia e pelo trabalho sério de promover um evento tão grandioso e da mais alta relevância sociocultural e educativa.
Parabéns, AGTLA!


Bel. TERRY MARCOS DOURADO
Presidente da REDELGBT-GO
Rede de Organizações LGBT do Interior do Estado de Goiás


Jornalista, desde novembro de 1991   |   Radialista, desde 1995   |   Bacharel em Direito (Ciências Jurídicas)   |   Produtor Cultural   |   Professor da Rede Pública de Ensino   |   Ativista LGBT desde 1991   |   Fundador e presidente da Associação por Cidadania e Direitos Humanos LGBT de Rio Verde/GO e Região (ACDHRio)   |   Representante da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) no GT (Grupo de Trabalho) LGBT do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE) – Governo do Brasil, como primeiro-suplente masculino   |   Coordenador regional de Comunicação e Relações Públicas da organização internacional REDLACVO+ (Red Latinoamericana y del Caribe de Acción Voluntaria em VIH/Sida), com sede em Buenos Aires/Argentina   |   Assessor de Imprensa e Comunicação do Comitê IDAHO- Brasil (The International Day Against Homophoby), com sede mundial em Paris/França   |   Presidente da REDELGBT-GO (Rede de Organizações LGBT do Interior do Estado de Goiás)   |   Conselheiro Estadual LGBT no Estado de Goiás, Brasil   |   Membro da organização internacional GALE (The Global Alliance for LGBT Education), com sede em Amsterdam, Holanda   |   Cerimonialista   |   Apresentador/Animador de Eventos   |   Roteirista de cine-vídeo, teatro, programas de rádio e televisão e de shows   |   Diretor semiprofissional de Teatro e Audiovisual (cine-vídeo)   |   Ator profissional (com registro)   |   Consultor em Comunicações e Mídias, Cidadania e Direitos Humanos para LGBT   |   Fundador da RedLacVida LGBT (Red Latinoamericana y del Caribe de Derechos Humanos, Ciudadanía y Calidad de Vida para Personas LGBT), com sede no Brasil.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

CONTATO DIRETO COM O PRESIDENTE

www.redelgbt-go.blogspot.com E-Mail: redelgbt-go@bol.com.br

Facebook: www.facebook.com/redelgbt-go     Twitter: @REDELGBT-GO

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

7ª. PARADA DO ORGULHO LGBT DE ANÁPOLIS/GO 2012
Imagem parcial da VI Parada do Orgulho LGBT de Anápolis 2011.


7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis vai acontecer no próximo dia 26 de agosto, com concentraçãoa partir das 12h00, na praça da Câmara Municipal de vereadores, na Avenida Brasil s/n. O tema deste ano é: “Homofobia é Crime – Direitos Iguais – Anápolis e de Todos e de Todas”.


Entre as atrações programadas, a 7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis terá, segundo o companheiro Cícero Diniz Vasconcelos, presidente da AGTLA, quatro trios elétricos que vão ser animados pelos Top-DJ Érica Lins (Goiânia), DJ Karlos (Anápolis), DJ Weber (Anápolis) e DJ Cláudio G (Goiânia). A AGTLA contratou os Top-Go-Go Boys Ricardo (Anápolis) e Jason (Goiânia).


No sábado, 25/08, que antecede a Parada LGBT de Anápolis, a AGTLA vai promover a Festa Oficial da 7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis. O evento vai acontecer na boate Pride Lounge, na Avenida Gertulino Artiaga, nº 219, Centro de Anápolis/GO. No dia seguinte, logo após a Parada LGBT, a AGTLA vai promover a Festa de Encerramento da 7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis, também na Pride Lounge.


7ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis é uma promoção da AGTLA tendo a Prefeitura de Anápolis e o Governo Federal/Ministério da Saúde/Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais como principais parceiros oficiais. Também apoiam o evento os Programas Estadual e Municipal de DST/AIDS, a ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), ARTGAY (Articulação Brasileira de Gays), REDELGBT-GO (Rede de Organizações LGBT do Interior do Estado de Goiás) e todas as demais organizações não-governamentais LGBT goianas. (T.M.D.)


===========

Postado por:
Bel. Terry Marcos Dourado

Fundador e Presidente da ACDHRio
Rio Verde/GO

Comentários