Veja como foi o encontro para falar sobre "As Falácias da Reversão Sexual"



Tatiana Lionço foi a moderadora da palestra-conversa


A palestra começou pontualmente às 18:30 e estava prevista para durar uma hora e meia, com perguntas em seguida, enquanto o povo quisesse ficar. E ficaram mesmo. O bate-papo só acabou às 22h. Foram três horas e meia de troca, muito conteúdo, interação e descoberta de talentos que já atuam em prol da diversidade sexual e do combate à homofobia em Brasília e arredores, mas que ainda não haviam se olhado de perto. ^^ O encontro foi riquíssimo e foi transmitido em tempo real pelo livestream do Twitcam. Graças a isso, o número de pessoas assistindo pode ter sido muito maior ainda. E tudo isso foi resultado do empenho dos organizadores e colaboradores. 

Fatos que me chamaram muito a atenção:

1. As pessoas envolvidas são extremamente conscientes de seu papel na luta por direitos humanos. Estão profundamente comprometidos com a luta pelos direitos LGBT, que são direitos humanos, obviamente.

2. A Cia. Revolucionária do Triângulo Rosa (promotora do evento) dialoga com outras minorias, além dos LGBT.

3. A Cia. Revolucionária do Triângulo Rosa não conta com recursos governamentais. Ela funciona à base de  muito empenho e muito amor por parte dos seus integrantes e colaboradores. Até a minha passagem foi paga por um colaborador, sem o qual a minha vinda não teria sido possível ou teria sido mais difícil. O Triângulo Rosa também providenciou acomodações num hotel muito agradável. Tudo isso feito à base de muita força de vontade.

4. O clima entre os integrantes do Triângulo Rosa e outros participantes do evento é festivo, mas responsável, pessoalmente comprometido, politica e socialmente engajado e intelectualmente profícuo. Fiquei muito impressionado com o nível acadêmico e capacidade crítica de todos, inclusive dos mais jovens.

Ficam aqui registrados meus agradecimentos públicos a todos os que tornaram esse encontro possível, especialmente esse charmoso grisalho da foto abaixo que custeou meu voo, e também agradeço ao Marcelo Galo, ao Sandro Candiles, ao Luth Laporta, ao Sávio Ivo, à Tatiana Lionço, que conduziu brilhantemente a abertura, bate-papo e fechamento, além de outras pessoas cujos nomes me escapam agora, inclusive os de dois amigos que jantaram conosco. Perdoem-me a falha. Acrescentarei assim que perguntar ao Sandro e ao Marcelo. ;)



O subsolo do Balaio Café ficou lotado.






A Cia. Revolucionária Triangulo Rosa é um coletivo de pessoas que apoiam mas que não conseguem ser reconhecidas na sigla LGBT; que sentem na pele a opressão relacionada à sua vida sexual ou à sua apresentação social da feminilidade e/ou masculinidade 
e que desejam um mundo onde os rótulos sexuais serão superados. 

Poder para os sexodiversos! 



Siga no Facebook: 





A palestra contou com apresentação e PowerPoint. Aqui eu me refiro a um dos slides na tela.


Gente bonita, inteligente e interessada.



O público realmente surpreendeu.

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo

Foto: Savio Ivo




Essa é a fachada do Balaio Café.

Bate-papo enquanto aguardávamos o jantar. O meu pedido foi um frango tailandês. Adogu! ^^







Leia também: Gays Homofóbicos, escrito por João Marinho.

Leia também: 19 de Agosto: A Noite em que as Lésbicas Invadiram seu próprio Bar, escrito por Miriam Martinho, testemunha ocular.

Comentários