SP Gays Bikers: pedalando por uma sociedade mais justa e igualitária

Evento ciclístico - Fonte: SP Gay Bikers: Confira aqui

SP Gays Bikers: pedalando por uma sociedade mais justa e igualitária

Grupo SPGB completa cinco anos de atividades com um forte engajamento na defesa das minorias e do meio ambiente

Pedalar por uma sociedade mais justa, tolerante e mais preparada para a convivência com a diversidade. Esse é a filosofia do SP Gay Bikers, grupo de esportistas que se reúne semanalmente para percorrer as ruas de São Paulo de bicicleta. Fundado em 2007, o SPGB, como é conhecido, está fortemente engajado em prol de um objetivo: promover de forma apartidária a inclusão social de minorias e a preservação do meio ambiente por meio de uma alternativa de mobilidade urbana totalmente ecológica. 

De acordo com Cesar Salvador, coordenador e organizador do grupo, o SPGB tem uma característica muito peculiar que o diferencia dos tradicionais movimentos de defesa da causa homossexual. “Optamos por assumir um posicionamento de militância apartidária e, mais do que isso, não defendemos a causa gay propriamente (ou exclusivamente), defendemos, sim, a inclusão de todas as minorias: o negro, o gay, o portador de deficiência, o obeso, o idoso, etc. Não somos segregadores, queremos a participação ativa de todos e acreditamos, sobretudo, no diálogo como forma de atingirmos esse nível de entendimento e coexistência”, ressalta. 

Esse posicionamento, segundo os integrantes, foi consolidado com o tempo e o amadurecimento dos ideais do grupo. “Temos uma visão muito mais humanista e plural atualmente. Acreditamos que o gay, assim como outras minorais, precisa reinvindicar sua valorização por meio do diálogo e do respeito à diversidade. Andamos de bike, mas poderíamos fazer qualquer outra coisa desde que pudéssemos discutir essa que é uma busca de melhoramento social”, destaca o biker Nando Rodrigues. 

Entre os eventos regulares que o SPGB participa estão o passeio anual no “Dia da Diversidade Sexual”, organizado pela Prefeitura de São Paulo e o passeio no “Dia Mundial de Prevenção à AIDS”. “Estamos organizando para 2012 um calendário com mais atividades e eventos que chamem a atenção da mídia e dos poderes públicos”, afirma César Salvador. 

Engajamento contra à AIDS

Dados do Governo Federal revelam que na região Sudeste do país, para cada cem mil habitantes, há-se 17,6 portadores do vírus HIV. Ao todo, no Brasil são 600 mil pessoas. Um dos pilares de defesa do SPGB é o combate ao preconceito contra portadores do vírus HIV, além de também defender a garantia de toda assistência e suporte não somente ao portadores, mas sobretudo às pessoas que fazem parte da vida desses. “O Brasil é hoje referência no tratamento de pessoas com o vírus da AIDS. No entanto, muito pouco se fala sobre o núcleo familiar no qual o soropositivo está inserido”, salienta Salvador. 

O SPGB acredita que o parceiro, os familiares e os amigos do portador de HIV também precisam de assistência psicossocial para aceitarem e melhor lidarem com a pessoa que têm o vírus. No médio e longo prazo, o grupo pretende atuar ativamente em prol dessa conscientização. “Anda de bike é só um pretexto que faz bem à nossa saúde, o que queremos mesmo é instigar a sociedade para temas que são do interesse de todos, pois, com ou sem ironia, teremos que conviver juntos. Que seja da melhora maneira possível então”, finaliza Nando Rodrigues. 

Comentários