NOTA ZERO para o Teatro Rival



Foi no sábado, 17 de março de 2012, Emanuel e eu fomos ao TEATRO RIVAL na expectativa de assistirmos um espetáculo de cultura irlandesa. Um dos componentes da banda que tocaria lá é amigo meu e foi super atencioso me dando dicas sobre como colocar nossos nomes numa lista especial, etc.

Pensei que seria simples comprar o ingresso no dia do evento, uma vez que NÃO HÁ VENDA ANTECIPADA para pessoas da 'lista amiga'. Cheguei lá bem antes, pensando em comprar os ingressos, curtir a Lapa um pouco e depois voltar para o espetáculo, que seria às 23:30. Porém, fui INFORMADO PELO BILHETEIRO que só poderia comprar os ingressos às 22:30, ou seja uma hora antes do espetáculo.

Fomos à Lapa, tomamos uma bebida num barzinho, demos uma volta, encontramos com meu amigo Ed (citado num post imediatamente anterior a este), que estava hospedado em hotel próximo. Enquanto conversávamos, encontramos amigos da comunidade Betel voltando do espetáculo "As Mimosas da Praça Tiradentes" (peça que veremos ainda hoje). Finalmente, nos dirigimos ao Teatro Rival para vermos o espetáculo do projeto RIVAL MAIS TARDE, com temática irlandesa naquela noite.

Para nossa DECEPÇÃO, às 22:30 a bilheteria NÃO ESTAVA ABERTA ainda e já havia FILA. Ficamos na fila durante UMA HORA, ou seja, em pé na Rua Laura Alvim, embaixo de uma marquise tentando escapar do chuvisco que caía de vez em quando. 

Esperamos até o momento em que o show estava programado para começar. A bilheteria CONTINUAVA FECHADA e quando foi aberta, fez exatamente o oposto do que se esperava: não iniciou a venda dos ingressos. Vendo a BAGUNÇA que é ADMINISTRAÇÃO da bilheteria do TEATRO RIVAL, decidimos não esperar mais. Nosso tempo é precioso e a vida é curta.

Saímos muito CHATEADOS, mas decidimos salvar a noite: já tínhamos jantado no Amarelinho, passeado na Lapa, encontrado amigos, tomado drinks. Agora, só queríamos uma coisa: uma suíte com hidromassagem. E foi o que fizemos: entramos no hotel Lips, na Senador Dantas, e escolhemos uma suíte deliciosa. O restante foi só relax. Tomamos café no próprio hotel e saímos quase ao meio-dia. Voltamos para casa só para descansar até o espetáculo das Mimosas da Praça Tiradentes, no CARLOS GOMES - TEATRO EXCELENTE. Ingressos comprados pela internet, cadeiras marcadas, etc. É só chegar e entrar. Nada a ver com a bagunça do Teatro Rival, que nada tem a ver com o grupo que ia se apresentar - diga-se de passagem -, porque antes deles o cantor Beto Guedes também se apresentou e eu mesmo vi a bagunça que estava a venda de ingressos antes do show. Um monte de gente insatisfeita.

Enquanto o RIVAL não mudar essa POLÍTICA DESPREZÍVEL de atendimento ao cliente, vou continuar frequentando o Carlos Gomes, o João Caetano, os teatros dos Centros Culturais espalhados pelo Centro do Rio, além daqueles que funcionam na Zona Sul. DUVIDO que vá encontrar RIVAL em termos de ZONA, BAGUNÇA, DESRESPEITO PARA COM O PÚBLICO que é a BILHETERIA DO TEATRO RIVAL na rua Álvaro Alvim.

HENRIQUE, QUERIDO VIOLINISTA, pode deixar que ainda vou ver a tua banda num dos pubs da Lapa quando você se apresentar por lá. Parabéns pelo crescimento da Banda, lindo! FIQUE FIRME!

Sergio Viula

Comentários

  1. uma pena que isto tenha acontecido. talvez suas donas estejam mais preocupadas em fazer TV e tenham esquecido o teatro

    ResponderExcluir
  2. É uma pena mesmo, Serginho, mas depois de passar por esse calvário, só mandando os responsáveis pelo teatro pro inferno mesmo... hehehehehe

    Beijo, querido.
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.