Filó, a Fadinha Lésbica


Um poema lésbico para comemorar oDia Internacional da Mulher  de um jeito bem  diverso.




Filó, a Fadinha Lésbica

Ela era gorda e miúda


Tinha pezinhos redondos.


A cona era peluda


Igual à mão de um mono.


Alegrinha e vivaz


Feito andorinha


Às tardes vestia-se


Como um rapaz


Para enganar mocinhas.


Chamavam-lhe “Filó, a lésbica fadinha”.


Em tudo que tocava


Deixava sua marca registrada:


Uma estrelinha cor de maravilha. Fúcsia, bordô


Ninguém sabia o nome daquela cô.


Metia o dedo


Em todas as xerecas: loiras, pretas 


Dizia-se até 


Que escarafunchava bonecas.


Fonte: http://www.cronopios.com.br/site/ensaios.asp?id=4862


Gosta de literatura com temática LGBT?
Confira essa dica, então: AQUI

Comentários