Marisa Lobo pode ser cassada pelo Conselho de Psicologia

Marisa Lobo


Marisa Lobo tem 15 dias para tirar da internet tudo o que contrarie a código de ética dos profissionais da psicologia, conforme determinação do Conselho de Psicologia.


A psicóloga discrimina LGBT, persegue religiosos não-evangélicos e ateus, e pode ser cassada pelo Conselho de Psicologia se não se conformar às normas éticas do Conselho.


Basta uma olhada no blog dela para se ter uma ideia da carga de fundamentalismo evangélico que ela aplica a tudo o que diz e escreve: http://marisalobo.blogspot.com/


Pastores fundamentalistas e representantes da bancada (fanática) evangélica já estão esperneando. Eles gostam do fanatismo dela. A psicologia, porém, não pode estar a serviço de credo algum, e não pode ser usada como pretexto para dar uma aparência de 'legitimidade' ao inaceitável: preconceito e discriminação, bem como promessas infundadas, verdadeiras farsas, com a ideia do divino como base. Psicologia é ciência e tem que estar desvinculada de pregação religiosa, como toda ciência.


Manifeste seu apoio ao Conselho de Psicologia. Se você alguma vez sentiu-se ofendido pelas declarações dessa senhora Marisa Lobo, escreva para o CFP (Conselho Federal de Psicologia) pelo twitter aqui: @cfp_psicologia. Se ainda tem dúvidas do mal que essa senhora espalha pela internet, dê uma olhada no blog dela. Para lançar um cortina de fumaça sobre o que ela fala contra pessoas inofensivas, a psicóloga também publica várias coisas sobre drogas, mas até nisso, ela erra, porque diz que sem deus não se consegue resolver o problema das drogas, mais uma vez desprezando os tratamentos médicos e psicológicos e colocando sua crença como base das terapias, até porque deus pra ela é só o dos evangélicos. ;)


Escreva para o Conselho Federal de Psicologia e apoie a decisão acertada daquele órgão:  @cfp_psicologia 


Comentários

  1. Haja estômago para ler esse blog. Mas será que essa não vai ser outra Rozângela Justino, ou seja, que muito se falou e pouco se fez quanto à cassação do registro dela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, gente como essa Marisa Lobo é de revirar as tripas... kkkk Mas, a gente precisa estar inteirado do que acontece por aí, especialmente quando o assunto é fundamentalismo religioso. A fé dessa gente sempre vem com a espada de brinde... ;)

      Se acontecer com ela o que aconteceu com a Justino, já é lucro. Antes, a Justino pensava que era a dona da cocada preta: falava, escrevia, desafiava e duvidava muito que fosse ter problemas com o CFP a ponto de ter que parar com esse exibicionismo todo. Teve, e parou. Se o CFP tivesse deixado 'o bicho solto', quem sabe quanto mal já teria sido feito.

      A Lobo deve ir pelo mesmo caminho. Se ela for idiota o suficiente para continuar peitando o CFP, a cassação poderá ser uma sinalização muito clara para qualquer outro aspirante à patifaria e à fraude sob o nome da psicologia, que é ciência e não religião; é laica.

      Façamos o que está ao nosso alcance: enviemos ao CFP pelo twitter mesmo informações sobre quanto mal essa mulher já espalhou pelas redes através de suas mensagens preconceituosas, discriminatórias, promotoras de homofobia e outras formas de ódio, como quando ela discrimina outros religiosos os ateus/agnósticos.

      O mal-estar que ela tem causado vai na contramão da razão de ser da própria psicologia.

      Abração, Kummitus. Estou contigo: estômago embrulhado por causa desses fundamentalistas promotores da morte.

      Sergio Viula

      Excluir
  2. Meu caro Viula,você é teólogo,não se esqueça.
    Agora,onde você consegue ensinar sobre teologia sem falar no mundo espiritual?
    Vamos lá,lhe faço a pergunta:

    O ser humano é um ser espiritual?Ou só natural?
    Sabe o que quer dizer "Teologia"?
    E não fale sobre psicologia na net,pois é atuar em outra atividade,ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Freittas,

      Se falar sobre psicologia na net é atuar em outra atividade, eu pergunto: atuei como psicólogo quando apenas destaquei o regulamento do próprio CFP? Falei sobre isso como qualquer pessoa disposta a usar as faculdades mentais pode falar. Além disso, minha formação não é apenas teológica. É filosófica também. E não há assunto que o filósofo não possa questionar. Se eu aplicar a mesma regra que vc estabeleceu aqui, terei que perguntar de volta: você é teólogo? Como pode falar de teologia, então? ;)

      Seja coerente, no mínimo. ;)

      Mesmo assim, obrigado por visitar o blog e por comentar.

      Abraço,
      Sergio Viula

      Excluir
  3. Você enrolou,e não respondeu a pergunta:
    O ser humano é um ser espiritual?
    Não enrola dessa vez,seja objetivo,sem filosofar.

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Filosofar = enrolar? hehehe Fica difícil aprofundar. ;)

      A primeira coisa que eu teria que perguntar é o que você entende por espiritual. O que é espírito? Como você chegou à conclusão de que essa coisa que você chama de espírito existe? Só quando eu entendesse exatamente o que você pergunta quando pergunta isso é que eu poderia responder, sem correr o risco de estar apontando para o norte quando você me perguntou sobre o sul.

      Como não filosofar?

      Enrolar? Não. Desenrolar. Fazer as perguntas certas. ;)

      Abração,
      Sergio Viula

      Excluir
  4. Realmente você gosta de filosofar para fugir da pergunta,e imagine você dizendo sobre o mundo espiritual e condenando alguém que fez o mesmo.
    Que eu saiba,teologia é estudo de Deus,e Deus é um ser espiritual,mas logicamente temos outras teologias e outros deuses conforme o cliente pede.
    Na questão da teologia,você se escondeu no armário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você mesmo não soube delimitar o escopo de seu conceito para tornar a pergunta objetiva, sugiro dois posts meus: um sobre a Bíblia, de onde você deve ter tirado sua ideia de espírito, e um video sobre a imortalidade da alma. O primeiro apresenta 10 erros graves das escrituras cristãs. O segundo, o nome mesmo já diz. Espero que tome tempo e pense sem medo do que pode descobrir:

      http://www.foradoarmario.net/2011/09/10-grandes-problemas-da-biblia.html

      http://www.youtube.com/watch?v=gmxrf5ZWb3U

      Mais direto, impossível. ;)

      Excluir
  5. Li o conteúdo,mas fica claro que você não soube se posicionar na época vivida e suas leis.

    Só um ex.,vamos supor que você vivesse na época de Gengis Khan,um homem que queimava seus inimigos em caldeirões de óleo fervente,você e sua família iriam lutar por suas vidas ou não?Matariam se possível?E se viesse crianças querendo matar seus filhos,o que você faria naquela época.

    Você pega épocas biblicas onde o povo vivia como nômades e quer colocar leis do séc.21,quantas constituições já teve o Brasil?Sabe o que é carne verde por ex.a um séc.atrás?

    Quer conhecer melhor a Bíblia,então deve conhecer a jurisdição da época,os povos ao redor,suas ambições e assim por diante.

    Ou você acha por ex.que deveriam permanecer como escravos o resto da vida,vendo os filhos sendo mortos quando nasciam e assim por diante ,ali no Egito?

    Traduzir a Bíblia conforme o frêgues é uma coisa,conforme a verdade,é outra.

    Onde você vê machismo no mandamento:honra seu pai e sua mãe?Os dois são colocados com a mesma honra.

    Se existe hierarquia numa família,isso existe em todo o local,ou você acha que os pais é que deveriam honrar os filhos,os patrões honrarem os empregados,os professores honrarem os alunos?Você sabe que o sentido de honrar é obedecer?

    Sua falta de conhecimento e torcendo textos bíblicos é clara,você não faz distinção da vida natural e da vida espiritual.

    É fácil induzir leigos.

    ResponderExcluir
  6. Freittas, você diz:

    1. "Você pega épocas biblicas onde o povo vivia como nômades e quer colocar leis do séc.21, quantas constituições já teve o Brasil?"

    Eu respondo: Concordo plenamente que textos de povos tão antigos não servem para formular leis no século 21. Por isso, repudio as imposições dos fundamentalistas evangélicos baseadas em textos bíblicos.

    Você diz:

    2."Ou você acha por ex.que deveriam permanecer como escravos o resto da vida,vendo os filhos sendo mortos quando nasciam e assim por diante ,ali no Egito?"

    Eu respondo: Você se refere ao Êxodo que supostamente aconteceu com Israel deixando o Egito depois de mais de 400 anos de escravidão. Porém, não existe nenhum registro histórico em lugar algum que indique a PRESENÇA, muito menos a escravidão de judeus no Egito. Então, isso não tem respaldo histórico. Segundo, mesmo que Israel tivesse saído do Egito, não precisava invadir as grandes cidades da época, ambicionando tomar o que era delas, muito menos sob o pretexto de ser ordem de Jeová. Isso é indesculpável. E se deus não consegue fazer melhor do que os piores homens de cada época, como o caso de Gengis Khan, então quem precisa dele?

    Você diz: "Onde você vê machismo no mandamento: honra seu pai e sua mãe?"

    Eu respondo: Nunca falei sobre esse versículo no meu texto a respeito dos erros da Bíblia. Além disso, até mesmo no livro "Minha Luta" de Hitler, você poderia encontrar uma ou outra frase que pudesse ser ensinada na EBD, sem que isso alterasse o conteúdo nocivo do livro como um todo. Aplique o mesmo à Bíblia.

    Você diz: "Sua falta de conhecimento e torcendo textos bíblicos é clara..."

    Eu respondo: Essa é a melhor desculpa para a sua própria consciência, que provavelmente faria qualquer coisa para salvaguardar o que você considera a dicotomia ' vida natural e vida espiritual'. Essa dicotomia tem boa resposta no video que eu indiquei. http://www.youtube.com/watch?v=gmxrf5ZWb3U

    Além disso, induzir leigos é o que vocês - povo do século 21 que ainda se baseia em 'histórias' de nômades da era do bronze - vivem fazendo nas igrejas sustentadas por esses mesmos pobres leigos. E, no seu caso, ao que me parece, você também é leigo, porque não é clérigo. Ou seja, se não é clérigo, é leigo. Pelo menos, isso é o que diz a semântica. Agora, quem disse que o leigo é burro? Burrice é colocar a própria razão a serviço do dogma. E isso é primeiramente feito pelo clérigo, depois pelo leigo, mas qualquer um dos dois pode renunciar a essa servidão intelectual e emocional. Alguns o fazem sem deixarem de ser clérigos. Esses são os que se destacam no meio religioso por sua sensatez, não por sua estupidez como é o caso de alguns tele-pastores e essa 'psicóloga cristã', como ela gosta de se identificar.

    Não perca seu tempo. ;)

    Sergio Viula

    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.