Hotel cristão perde apelação contra casal gay

Dois cristãos, donos de uma pousada, que recusaram um quarto duplo para um casal gay perdem apelação contra uma decisão judicial que concluiu que eles agiram contra a lei.



(Com informações da BBC, 10/02/12)
Sr.and Sra. Bull disseram que acreditavam que casais não-casados não deveriam dividir quartos


Peter e Hazelmary Bull, de Cornwall, levaram o caso à Corte de Apelação.

O casal havia recusado os parceiros civis Steven Preddy e Martyn Hall, de Bristol, um quarto no Chymorvah House em 2008.

Eles foram condenados a pagar, em janeiro, 3.600 libras em danos morais.

Apesar do casal Bull (acima) ter recorrido da sentença, alegando que sua atitude foi movida por suas crenças religiosas, a corte manteve a sentença por entender que nenhum serviço ou produto pode ser negado a uma pessoa tendo como base sua orientação sexual.


Sr. Preddy e Sr. Hall foram apoiados pela Comissão de Igualdade e Direitos Humanos


-------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Quem esses fundamentalistas cristãos pensam que são para decidir quem tem e quem não tem direitos básicos. Todos os seres humanos, sem discriminação, tem direitos fundamentais. Esses crentes (católicos ou evangélicos), patrulheiros da vida alheia, querem agir como se fossem a polícia da 'moral e dos bons costumes', sendo moral apenas o que eles decidem que é, e bom costume, apenas aqueles que são ditados por suas igrejas. 

Que bom que a Justiça não cedeu aos caprichos desses dois fanáticos, e manteve a primeira decisão, ou seja, que os donos da pousada foram preconceituosos e agiram contra a lei. 

Imagine se os estabelecimentos comerciais começassem a funcionar na base da crença: Crente não vende farinha a católico, porque ele venera imagens; católico não vende açúcar a crente, porque ele não reconhece que a Eucaristia é verdadeiramente a carne e o sangue de Cristo. Nenhum dos dois vende para o Candomblecista, porque este cultua os Orixás, ao invés de Jeová. Que porra de país seria esse em que as pessoas colocassem seus estabelecimentos comerciais a serviço de suas crenças mesquinhas?

Fica a dica: discriminação de qualquer espécie viola os direitos fundamentais de QUALQUER indivíduo e não pode ficar impune! A lei não apenas pune, mas também educa. Se queremos um mundo melhor, precisamos aprender a respeitar todos as pessoas, sejam elas negras, brancas, religiosas, ateias, lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis, intersexuais, heterossexuais, pobres, ricas, ou parte de qualquer outra categoria que se tenha inventado para designar alguma característica humana.




Comentários