Censurar 'GAY'? Nem pensar! São Petersburgo, Rússia.


21 de fevereiro, 2012. 

Em apenas uma semana a cidade de São Petersburgo poderá passar uma lei ridícula que irá tornar crime, ler, escrever, falar, ou se reunir para discutir qualquer coisa considerada "gay".

Nos últimos meses, 270 mil pessoas juntaram-se a All Out para condenar o projeto de lei e milhares ligaram para os seus Ministérios de Relações Exteriores, pressionando os governos ao redor do mundo que condenassem oficialmente este projeto de lei. Mas, a diplomacia tradicional fez o que poderia fazer - e agora nós vamos fazer tudo possível para que este projeto seja removido da agenda, atingindo o governo onde dói: no bolso.

O governador de São Petersburgo tem o poder de vetar essa lei. E nós sabemos que ele não quer que a sua cidade, conhecida no mundo inteiro por ser a capital cultural cosmopolita da Rússia, seja pega no meio de uma tempestade de má publicidade.
 


Assine esta petição urgente para o Governador de São Petersburgo, dizendo a ele: passe esta lei e eu não vou visitar a sua cidade. Nós entregaremos a sua assinatura para os consulados Russos em várias partes do mundo na semana que vem, em um dia de ação global.

Para assinar a petição, clique aqui:


Divulgue para seus amigos também.

Comentários

  1. Já tem tanto lugar por aí que pode ser bonito, mas é famoso pela homofobia, como o Egito e os Emirados Árabes, que São Petesburgo vai apenas se juntar à lista. Melhor mesmo é visitar a boa e velha Europa, com exceção da Polônia.

    ResponderExcluir
  2. A Europa tem tudo o que deseja: praia, neve, montanhas, vales, fazendas, grandes centros urbanos. Geralmente, as coisas funcionam bem e as pessoas respeitam as diferenças, na esmagadora maioria das vezes. O restante do mundo tem mesmo muito que aprender com eles, inclusive os EUA.

    E por isso mesmo não podemos ficar assistindo um absurdo como esse da Rússia sem agirmos. Assina, amigão, e divulga para o pessoal que você sabe que se preocupa.

    Abração, garoto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.